Número total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

SAGRADA FAMÍLIA


Festa da Sagrada Família:
A Família deve ser Sagrada.
Família: um Homem, uma Mulher com ou sem e filhos.
A melhor forma de uma mãe amar os seus filhos é amar o seu marido.
A melhor forma de um pai amar os seus filhos é amar a sua esposa.
Os filhos aprendem mais com aquilo que vêem do que com aquilo que ouvem.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

 
 
ANO DA FÉ.
 
Todo o cristão tem este dever: anunciar Jesus Cristo. Anunciar em palavras e em obras.
 Mas só se pode falar de quem se conhece, de quem se tem alguma experiência.
É na oração profunda, silenciosa, muitas vezes a sós, na solidão, no silêncio que experimentamos Jesus Cristo.
É aí que O podfemos conhecer, amar e seguir.
Conhecemos Jesus Cristo, o Nosso Salvador lendo a Bíblia.
Conhecermos Jesus Cristo participando na vida religiosa da comunidade (paroquial ou não).
 
A grande falha dos cristãos, especilamente d emuitos católicos é a falta de oração pessoal como encontro com Jesus Cristo, com Deus Pai, com o Espírito Santo.
E tu meu irmão e minha irmã:
Já encontraste Jesus Cristo alguma vez?
Se já O encontraste, então, não te cales, anuncia-O com palavras, mas também com obras de acordo com a fé que professas.

sábado, 22 de dezembro de 2012

LUZES DE NATAL


http://operfumededeus.blogspot.com

albanonogueira2012@sapo.pt

 LUZES DE NATAL

 Por que as luzes de Natal piscam?
Estamos nos aproximando do Natal.
Já começam a aparecer nas casas, varandas e ruas as árvores de Natal; umas grandes, outras menores, umas sofisticadas, outras simples, mas todas lindas e reluzentes.
As luzes da árvore de Natal sempre me fascinaram. Quando era criança, ficava pensando: por que elas piscam?
Uma vez, eu vi uma verdinha muito bonita e quis apertá-la para ver se ficava só acesa.
Coisa de criança! Ela queimou-se e nunca mais acendeu. Eu fiz de tudo para que ela acendesse de novo, mas, teimosa e pirracenta, nem deu bola.
Fiquei com muita pena. Olhei para ela apagada, com remorso.
Remorso é uma dor que fica lá no cantinho da consciência da gente depois de ter feito alguma coisa errada.
O remorso é teimoso e pirracento igual à luzinha que queimou.
Ele se instala dentro da gente e fica lá remoendo.
Ele só não gosta é do perdão. Quando o perdão chega, o remorso vai embora. Então nossos olhinhos piscam felizes iguais às luzinhas de Natal.
Acho que é por esse motivo que eu gosto delas. Elas me fazem lembrar o perdão.
Quando a gente perdoa, tudo muda.
Seja quando a gente perdoa alguém, seja quando a gente se perdoa.
Engraçado, tem pessoas que conseguem perdoar os outros, mas não conseguem perdoar a si mesmas. Então, ficam sofrendo. E o remorso fica lá no cantinho, machucando, tirando a alegria.
Acho que é por isso que as luzinhas piscam no Natal, para nos alertar que é tempo de perdoar, de jogar fora a mágoa, o rancor, o ódio...
É tempo de desinstalar o remorso. As luzinhas trabalham nos alertando e não cobram nada. Elas se acendem e apagam generosamente.
É a forma que elas têm de se doar.
E são felizes!
Nesse Natal, quando você montar sua árvore ou quando você encontrar alguma com as luzes piscando, siga o conselho: perdoe alguém e se doe a alguém. Você verá como as luzinhas ficam alegres e brilham com mais intensidade, com mais beleza ainda. Não perca tempo, faça uma luzinha brilhar neste Natal!
 

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A PALAVRA QUE LEVA AO SILÊNCIO


http://operfumededeus.blogspot.com

Aprendendo a estar silenciosos

Para rezar de forma profunda (diferente da forma superficial…) é preciso fazer silêncio.
Silêncio em que poucas palavras bastam para rezarmos.
Para entramos em comunhão profunda com Deus, chega o momento em que as palavras estão a mais.
Temos em nós a Palavra de Deus e isso nos basta.

Não podemos apreender e sentir Deus pelo pensamento. Temos de sentir e apreender Deus pelo coração, pelo silêncio orante.

Um silêncio em que não é tanto para dizermos palavras a Deus, mas para escutarmos, para nos concentrarmos, para esperarmos.

Sabemos que Deus está intimamente connosco e devemos apreciar essa maravilha no silêncio do encontro do meu coração com o coração de Deus, como dois apaixonados que a certa altura, não precisam de falar, basta a presença e a intimidade.

Esta consciência da presença íntima de Deus é pouco familiar aos cristãos ocidentais. Poucos a têm.

Exige estar sentado, em silêncio, concentração, fechar os olhos. Respirar fundo. Coluna direita, posição vertical…

Alcançar a harmonia do corpo, mente e do espírito. Ter em nós a paz de Deus que ultrapassa todo o entendimento.

Uma forma de orara assim el silêncio é recorrer a um pequeno verso e repeti-lo várias vezes.

sábado, 15 de dezembro de 2012

ESPÍRITO DE NATAL

 
 
    Meu irmão, minha irmã.
    Muita gente, este ano, vai ter menos bens materiais; menos dinheiro para comprar prendas.
    Mas não esqueças que há pessoas que nunca têm dinheiro, nunca têm prendas...
    Pessoas de todas as idades que não sabem o que é o Natal, ou porque não conhecem Jesus Cristo, pois nunca ninhuém lhes falou e são não-cristãos, ou porque vivem em países de muita pobreza.
    Por isso, neste Natal de 2012, pensa nos que passam mesmo fome e não te queixes tanto se este ano tiveres menos bens materiais.
    Aproveita para purificares a tua ideia de Natal, aproveita para perceberes o espírito de Natal que não é um velhote que traz prendas, mas acolher um Menino que nos é dado- Jesus Cristo.
    Jesus, nascido em Belém da Judeia (Israel/Palestina) é que é a verdadeira prenda que Deus tem para nos dar.
    O verdadeiro espírito de Natal não custa dinheiro: é acolher Jesus que vem ao meu e ao teu coração para nos fazer felizes, como Deus quer e acolher os outros, especialmente, os que mais sofrem.
   Natal é paz, é alegria, é música, é felicidade;
   Natal é viver numa família em paz e em harmonia na partilha, no diálogo, no respeito, na colaboração, na ajuda.
    Natal é repartir com os que têm pouco ou nada.
    Há uma fundação que podes conhecer pela internet ou em jornais, revistas: AIS= Ajuda à Igreja que sofre.
    Essa Fundação ajuda cristãos em muitos países.
    Informa-te e colabora.
    Obrigado.
    Que Deus te ajude e abençoe.
 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

PENSAMENTOS DE AUGUSTO CUTY

 
 
Pensamentos de Augusto Cury
 
- Saber colocar-se no lugar dos outros.
- Certos doentes têm de reaprender a viver.
- Ser gentil, solidário, altruísta (querer o bem dos outros).
- Saber elogiar os outros.
- Ter um sorriso no rosto.
- Ter uma auto estima elevada.
- Entrar em contacto com a própria realidade.
- A sociedade moderna é rica em bens materiais, mas empobreceu a nível espiritual, perdeu a amabilidade e a afabilidade. Há muita cultura escolar, muito dinheiro, mas perdeu-se o poder da gentileza e do elogio.
- Ter inteligência e humor.
- Temos monstros dentro de nós que nos perturbam. Monstro da culpabilidade doentia. Seja livre. Combata os monstros dentro de si mesmo.
- Perder a identidade de ser humano e interiorizar que são doentes.
- Mundo ilógico da emoção, da sensibilidade, da flexibilidade, do diálogo, do perdão.
- A rejeição e a solidão são mais penetrantes do que a luz.
- Condições deprimentes, falta de esperança, angústia que as alucinações e delírios causam.
- Medo de enfrentar a incapacidade face a um mundo que não conheciam. Medo do desconhecido.
- Não rotular as pessoas, mas entrar no seu mundo ainda que seja mundo de loucura…

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O QUE É O PECADO?


http://operfumededeus.blogspot.com
 
O que é o pecado?
      Deixas cair um prato no chão e ele parte-se; vais ter de ir pedir desculpa à tua mãe. Será isso um pecado?
    É claro que não. Foi um descuido. Não o fizeste de propósito. E se, por estares furioso(a), agarrares num prato e o atirares ao chão? Será um pecado? É, antes de mais, uma má acção.
     Se compreenderes que agiste mal e pedires desculpa, não dirás «cometi um pecado», mas «portei-me mal».
A palavra «pecado» diz respeito à religião. Utilizamo-la quando tomamos consciência de que o mal que fazemos fere a nossa amizade com Deus.
O pecado, diz a Bíblia, é uma «ruptura da aliança». O crente sente por vezes muito bem que já não está em sintonia com Deus, que deixou de viver segundo a sua lei de amor.
Compreende então que chegou a altura de voltar para Ele. «Levantar-me-ei e irei ter com o meu pai», disse o filho pródigo da parábola enquanto guardava os porcos (Lucas 15, 18).
O pecado é precisamente um ato que cometes e que desfigura em ti a imagem de Deus.
Deixas de te parecer com Ele. Passa a haver uma distância entre ti e o Deus que te ama. E é quando compreendes que Ele te perdoa que percebes até que ponto esse pecado te afastou d’Ele.
Portanto, o pecado é a falta de amor a Deus, falta de amor aos outros e falta de amor a ti mesmo(a).
Só quem acredita em Deus é que pode ter (ou não) a noção de pecado como um afastamento em relação a Deus.
O pecado separa a pessoa de Deus (muito ou pouco), separa-a dos outros (muito ou pouco) e separa-te de ti mesmo, divide-te dentro de ti mesmo.
Por isso, é que há graus de pecados: leve ou venial, pecado grave e pecado mortal... Chama-se "mortal" porque mata, corta a relação da pessoa com Deus. Mas essa relação pode ser reatada pelo arrependimento, pelo sacramento da Confissão (penitência ou reconciliação), pela mudança de vida.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A CADEIRA

 
A cadeira
 O sacerdote foi chamado para orar por um homem muito enfermo. Quando o sacerdote entrou no quarto, encontrou o pobre homem na cama com a cabeça apoiada num par de almofadas.
     Havia uma cadeira ao lado da cama, facto que levou o sacerdote a pensar que o homem estava aguardando a sua chegada.
- Suponho que estava me esperando?
- Disse o sacerdote.
- Não, quem é você? – respondeu o homem enfermo.
- Sou o sacerdote que a sua filha chamou para orar por você; quando entrei e vi a cadeira vazia ao lado da sua cama, imaginei que você soubesse que eu viria visitá-lo.
- Ah sim, a cadeira! Entre e feche a porta.
Então o homem enfermo lhe disse:
- Nunca contei para ninguém, mas passei toda a minha vida sem ter aprendido a orar. Não sabia direito como se deve orar. E nunca dei muita importância para a oração. Pensava que Deus estava muito distante de mim.
    Assim sendo, há muito tempo abandonei por completo a ideia de falar com Deus.
Até que um dia um amigo me disse:
"José, orar é muito simples. Orar é conversar com Jesus, e isto eu sugiro que você nunca deixe de fazer… você se senta numa cadeira e coloca outra cadeira vazia na sua frente. Em seguida, com muita fé, você imagina que Jesus está sentado ali, bem diante de você”.
Afinal Jesus mesmo disse:
- “Eu estarei sempre com vocês”.
- Portanto, você pode falar com Ele e escutá-lo, da mesma maneira como está fazendo comigo agora.
- Pois assim eu procedi e me adaptei à ideia. Desde então, tenho conversado com Jesus durante umas duas horas diárias. Tenho sempre muito cuidado para que a minha filha não me veja… pois me internaria num manicómio imediatamente.
O sacerdote sentiu uma grande emoção ao ouvir aquilo, e disse a José que era muito bom o que estava fazendo e que não deixasse nunca de fazê-lo.
Em seguida orou com ele e foi embora.
Dois dias mais tarde, a filha de José comunicou ao sacerdote que seu pai havia falecido.
O sacerdote então perguntou:
- Ele faleceu em paz?
- Sim, quando eu estava me preparando para sair, ele me chamou ao seu quarto.
Ele disse que me amava muito e me deu um beijo.
Quando eu voltei das compras, uma hora mais tarde, já o encontrei morto.
Porém há algo de estranho em relação à sua morte, pois aparentemente, antes de morrer, chegou perto da cadeira que estava ao lado da cama e encostou a cabeça nela.
Foi assim que eu o encontrei.
Porque será isto? – perguntou a filha.
O sacerdote profundamente emocionado, enxugou as lágrimas e respondeu:
- Ele partiu nos braços do seu melhor amigo…
Nota- É curioso como podemos enviar contos e brincadeiras através de e-mails os quais se desfazem como poeira; porém quando se trata de mensagens de Deus, pensamos duas vezes antes de compartilhá-los com os outros.
É estranho como a luxúria nua e crua, vulgar e obscena, viaja livremente através do ciberespaço, porém quando se trata das palavras de Jesus, ela é suprimida das escolas e dos locais de trabalho.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

PENSAMENTOS DE AUG CURY

 
AUGUSTO CURY, A saga de um pensador, ed pergaminho, 2011.
 
        Pensamentos, soltos
 
- Psicose= loucura
    - Saber rir de si mesmo.
    - Tem necessidades que não são necessárias?
    - Sofre quando alguém o critica?
    - Preocupa-se com a opinião dos outros?
    - O mundo em que você vive é um teatro?
    As pessoas representam?
    - Não sou tão livre como imaginava.
    - Hoje valoriza-se a técnica e pouco a sabedoria.
    - Se você não brincar com a vida, a vida zanga-se consigo
    - No mundo os mais fracos servem os mais fortes.
        No reino de Deus, os mais fortes é que servem os mais fracos.
    -Os antidepressivos tratam a dor da depressão, mas não curam o sentimento de culpa, nem tratam a angústia da solidão.
    - Ter sede de compreensão e de interiorização.
    - Certos doentes, se tivessem sido abraçados, ouvidos, amparados, talvez tivessem suportado o seu caos.
    - Semear sonhos numa sociedade que perdeu a capacidade de sonhar.
    - Vendedor de sonhos.
    -Distinguir a realidade da fantasia.
    - Os nossos piores inimigos estão dentro de nós, na nossa mente e no nosso coração.
       Esses é que assustam e põem doentes.
    - Os fracos usam a armas, os fortes, usam as ideias.
    - A vida é um grande ponto de interrogação. Cada ser humano é uma pergunta em busca de uma grande resposta.
     - Chamar o outro pelo nome de forma efusiva, alegre. Abraçar, elogiar.
   - Tirar prazer das pequenas coisas.
 
              (continua)