Número total de visualizações de página

sábado, 28 de dezembro de 2013

ANO NOVO, VIDA NOVA

http://operfumededeus.blogspot.com


ANO NOVO, VIDA NOVA
 

Toda a gente conhece esta: Ano Novo, Vida Nova.

Trata-se de um sonho, um desejo, um projecto de vida melhor.

A primeira pergunta que posso fazer: eu preciso de uma vida nova? Preciso de alguma mudança na minha vida? Haverá alguma coisa que possa e deva mudar, sobretudo a nível pessoal?

Sabemos que há muita coisa que não podemos mudar, pois não depende de nós e que temos de nos conformar com a situação.

Naquilo que não podemos mudar temos de permanecer em paz. Revoltar-se com o que não se pode mudar é errado e só nos faz mal.

O passado, por exemplo, não se pode mudar…
Tem de ser aceite e muitas outras coisas no presente.

Outra questão a ter em conta, neste “Ano Novo, Vida Nova”, é pensar: o que é que eu posso mudar em mim para melhorar a minha vida, para ter uma vida “nova”?

Posso lutar contra um vício, um defeito, um erro, um pecado…

Posso, mas será que quero?

Primeiro é examinar-se a si mesmo, fazer um exame pessoal, conhecer bem a sua vida e depois, decidir.

Posso ser melhor neste aspeto e escolho o que vou melhorar no meu relacionamento com Deus, com os outros, comigo mesmo.

Toda a gente pode ser melhor e não espere que sejam os outros a mudar primeiro. Seja você o primeiro a mudar para melhor e verá que os outros vão mudar.

Não culpe a crise, o governo, o presidente, não culpe os outros.
Olhe para a sua vida e decida ter uma vida melhor.
Sobretudo, melhore o seu íntimo: tenha mais bondade, mais amizade, mais compreensão, mais carinho, mais amor fraterno, mais perdão, mais solidariedade.

Seja mais severo consigo, com os seus erros, com os seus defeitos e mais tolerante com os outros.

Veja o funil. Use a parte larga para aceitar os outros.

Use o bico do funil para ser mais exigente consigo mesmo e não passar tanta coisa errada na sua vida.

Seja exigente consigo mesmo, lute contra os seus erros e defeitos.

Seja paciente e compreensivo com os outros.

Verá que se o fizer vai ser mesmo: Ano Novo, Vida Nova.

 

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

NATAL- UM PRESENTE DE DEUS

 
    Toda a gente sabe falar do Natal...
    Por isso, não vou fazer um discurso sobre o Natal.
    Vou apenas perguntar-te, meu irmão, minha irmã:
 
    - Para ti o que é o Natal?
 
    - Que significa dentro de ti (pensamento e coração) esta palavra?
    - Natal será apenas um velhote? (Pai Natal)
    - Natal serão apenas as prendas?
    - Natal será apenas a família reunir-se?
    - Natal será apenas ir à Missa (Eucaristia) de roupa nova?
   - Natal será apenas montar uma árvore, enfeitá-la com luzes, ou fazer um presépio?
    - Natal será apenas montar umas luzes nas cidades e nas lojas comerciais para apelar ao consumismo?
-----
    - NATAL pode ser um pouco de tudo isso.
Mas se for só isso, é muito pobre e falta o essencial da mensagem de Natal, do espírito de Natal.  
Natal é muito mais do que isso:
 
    NATAL É UM PRESENTE DE DEUS.
 
    Este presente chama-se Jesus que nasceu há 2013 anos, o Filho de Maria de Nazaré e Filho de Deus Pai, que encarnou, veio ao mundo para nos salvar.
    Natal é acolher Jesus, recebê-lo como um dom de Deus que se dá a Si mesmo, acreditar n'Ele como o Salvador e Libertador do Mundo e imitar Jesus.
    Natal é viver como filho de Deus
    e como irmão e amigo dos outros.
    Natal é renunciar às palavras e gestos de maldade e fazer o bem aos outros.
    Natal é:
- AMAR A DEUS COMO NOSSO PAI,
- VIVER COMO FILHO MUITO AMADO POR DEUS,
- AMAR OS OUTROS COMO NOSSOS IRMÃOS,
- AMAR E RESPEITAR-SE A SI MESMO.
- AMAR A NATUREZA CRIADA POR DEUS E RESPEITAR AQUILO QUE É DOS OUTROS.
 
Um santo e feliz natal para todos os meus leitores em Portugal e no estrangeiro.
Destaco os meus irmãos brasileiros que são muitos os que me leem.
Que Deus a todos vos abençoe
 
 

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

A NOSSA HISTÓRIA DE VIDA


 

Deus diz-nos que não viemos da terra para voltar à terra: foi Ele quem nos criou por amor, Ele nos assiste sempre com esse amor e nos lembra que o nosso fim, a nossa meta é o Céu, a vida eterna e feliz com a Santíssima Trindade, Anjos e Santos.

Não possuímos duas histórias em luta uma contra a outra, afastando-se, aproximando-se ou ficando paralelamente lado a lado.

Não possuímos uma história terrena e outra celeste.

Possuímos uma única história: a nossa história humana que é, ao mesmo tempo, terrena e celeste, do tempo e da eternidade, de cá deste chão e de além do Céu.

A nossa história será triste se nos esquecermos:
        - De nós e do nosso aperfeiçoamento físico e intelectual;
        - Dos outros, sejam família, amigos, inimigos ou simples desconhecidos;
       - De Deus e do nosso destino eterno.

A nossa história escreve-se:

- Com o nosso valor pessoal,
          - Com a ajuda e colaboração dos outros,
          - Com Deus (fé, oração e prática religiosa).

Um cego não conhece onde põe os pés e facilmente tropeça e cai.
Se não conhecemos quem somos, quem são os outros e quem é Deus, assim como o que podemos fazer, o que os outros fazem por nós, somos cegos.
E escrevemos uma história sombria.
Talvez sejamos um obstáculo para que os outros possam ser bons.

sábado, 7 de dezembro de 2013

A NOSSA HISTÓRIA COM DEUS

 
 
A nossa história para ser completa, também deve contar com Deus. Uma vida sem Deus é sempre INCOMPETA e, muitas vezes, DE INSATISFAÇÃO.
Desenvolvemos as nossas qualidades, aprendemos, estudamos, trabalhamos, convivemos com os outros, estando sempre com Deus, tendo os olhos da alma bem abertos para o amor de Deus.
Só Deus enche a nossa alma e o nosso coração humano de paz, de amor, de felicidade.
Assim,
        - A nossa valorização pessoal aproxima-nos de Deus.
       - O nosso estudo e trabalho levam-nos ao encontro com Deus.
      - A convivência com a família e com os outros é caminho para Deus.
      - A oração e os sacramentos celebrados com fé, são momentos privilegiados do nosso encontro com Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo.
       Deus não nos afasta da terra, nem diminui a nossa inteligência, o nosso trabalho, o nosso interesse pelos outros. Jesus rezava assim na Última Ceia: “Pai, peço-te que santifiques estes no mundo. Que não os tires do mundo, mas que os livres do mal.”
      Jesus entrou na nossa história humana pela Encarnação (mistério celebrado no Natal), foi igual a nós em tudo, menos no pecado.
      Jesus amou a sua família, a sua terra, os seus vizinhos e todas as pessoas que encontrava.
      Jesus estudou, trabalhou, pôs-se sempre ao serviço dos outros.
    E todos sabem: Jesus é a grande revelação de Deus.
Veio ensinar-nos quem é Deus: o Pai, o Amigo, o Criador e Senhor sempre preocupado connosco e com o nosso bem.
       Deus quer que a nossa história seja bela e luminosa, alegre e útil. Deus diz-nos todos os dias que ainda há muito para caminhar e que podemos, com Ele, subira aos montes mais altos da vida para encher de azul celeste os nossos olhos.

MUSICAL CATÓLICO

UMA FORMA NOVA
DE EVANGELIZAR COM
ALEGRIA, COMO DESEJA
O NOSSO QUERIDO
PAPA FRANCISCO