Número total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

A RENOVAÇÃO INTERIOR


 

            Mas, Aqueles que Confiam no Senhor…

 Renovarão suas Forças, Receberão asas como Águias, Voarão e correrão sem se cansar …       (Isaías 40,31)

A águia é a ave que possui maior longevidade da espécie.
     Chega a viver setenta anos.
     Mas para chegar a essa idade, aos quarenta anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão.
     Nesta Idade ela está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar suas presas das quais se alimenta.

O bico alongado e pontiagudo se curva.

Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil!

Então a águia só tem duas alternativas:  Morrer ... ou ...

Ou enfrentar um doloroso processo de Renovação que irá durar cento e cinqüenta dias.

Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha.

E se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar.
Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até
conseguir arrancá-lo.

Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer.

Ela passa a arrancar as velhas penas.

E só cinco meses depois sai o formoso vôo de renovação e para viver então mais trinta anos.

Em nossa vida, muitas vezes, passamos por um processo de renovação.

Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes, velhos hábitos que nos causam dor.

Somente livres do peso do passado, poderemos aproveitar o resultado valioso que a renovação nos traz.
----------------------
      Esta história da renovação da águia é muito utilizada em cursos de Marketing e preparação de Executivos, também como motivação de auto ajuda levando as pessoas a abandonarem certos hábitos errados em suas vidas e adotarem novos métodos que lhes são apresentados, porque todo homem se agarra a princípios e métodos que muitas vezes não funcionam mais e insistindo nisto muitas vezes fracassam por falta de uma visão ampla de uma nova realidade.

Os cursos se utilizam desta história para quebrar o gelo, derrubar o muro levando a pessoa a tomar uma decisão de se levantar e fazer uma nova tentativa.
Porém, esta estória não foi comprovada e não se encontra provas de que a águia realmente faça o que aqui está escrito, mas isto não impede de a usarmos como uma metáfora, uma paráfrase ou uma parábola para atingir um outro objetivo, que é a renovação do Homem interior com uma grande e nova motivação.
    Jesus replicou-lhe: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer de novo não poderá ver o Reino de Deus.
Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não renascer da água e do Espírito não poderá entrar no Reino de Deus.
      É por isso que não desfalecemos. Ainda que exteriormente se desconjunte nosso homem exterior, nosso interior renova-se de dia para dia.
     Para que vos conceda, segundo seu glorioso tesouro, que sejais poderosamente robustecidos pelo seu Espírito em vista do crescimento do vosso homem interior.
      Quem crê em mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva (Zc 14,8; Is 58,11).
    Não viva só para os bens exteriores. Viva para o HOMEM interior e espiritual que existe dentro de si...
 

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

EXPERIÊNCIA DE DEUS

 
 
 
EXPERIÊNCIA DE DEUS
 
1.Tomar consciência da presença invisível, mas real da presença de Deus a toda a hora e momento e em todas as circunstâncias.
2.Relação pessoal com Deus família: Pai, Filho, Espírito Santo.
3.Perceber que Deus é a origem de todo o bem, é a nascente da água viva que chega até nós.
4.Sentir que Deus precisa de nós como intermediários, como o canal (tubo, mangueira que traz a água) para as graças de Deus chegarem até nós. Sem um canal, a água não chega até nós. O importante é a água (Deus e os seus bens), mas sem os tubos, Deus não chega até nós, nem aos outros.
Deus precisa de nós, somos seus instrumentos, servidores de Deus.
5.Deus é fiel e se nós formos também, Ele fará em nós maravilhas.
6.O centro de tudo é Deus, não somos nós.
7.Deus respeita escrupulosamente a nossa liberdade e o nosso ritmo mais vagaroso ou mais apressado.
8.Deus só intervém se nós lhe pedirmos. Daqui vem a necessidade da oração pessoal diária. Rezar por nós e pelos outros. Sem oração cristão não dá frutos. Pode dar alguns, só Deus sabe, mas será mais difícil ser imagem e semelhança de Deus, e viver dignamente como filho de Deus.
9.Quem faz a experiência de Deus e fica feliz, quer transmitir aos outros esta felicidade.
 

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

A FÉ EM DEUS

 
 
     A FÉ EM DEUS
Quem usar a inteligência e pensar um pouco chega à conclusão de que Deus existe.
Tudo o que existe tem a sua razão de ser.
O único ser que tem em si mesmo a sua razão de ser é Deus.    
Deus é Infinito e Eterno, Imutável e Perfeito. Deus É… Ser…
Deus É Aquele que É. A razão do ser humano está em Deus que o transcende.
O amor que tem pela própria vida tem a sua raiz mais profunda no amor que houve na origem da sua vida.
A criança reconhece a sua origem nos pais.
Sente-se amada e querida por eles. Mas à medida que cresce vai percebendo que a sua razão de ser não está só nos pais. Eles também são contingentes. Eles apenas transmitiram a vida.
Então chega o momento em que a criança, adolescente e jovem, chega à consciência da fé em Deus.
Descobre em Deus a sua razão de Ser.
O Homem encontra n’Ele também a fonte do amor.
Descobre-se amado por Ele.
Somos amados em tudo e por tudo o que somos.
Jesus Cristo, revelou-nos esta verdade e esta certeza da fé.
Cristo ensinou-nos que Deus é um Pai que nos ama de tal modo que enviou o Seu Filho ao mundo para no-lo revelar.
Mas não basta crer em Deus; nem basta saber ou aceitar que Ele existe.
É preciso assumir a própria vida e toda a História e todo o mundo, na perspectiva dessa existência.
Há pessoas que acreditam em Deus, mas a sua existência nada lhes diz; ficam indiferentes, outros ficam revoltados. Deus não lhes interessa.
Deus só nos interessa quando O reconhecemos como nosso Pai Pessoal.

sábado, 18 de agosto de 2012

JESUS BATIZADO EM ADULTO



Porque é que Jesus foi baptizado quando já era adulto?
     Pelo teu baptismo, tornaste-te cristã(o).
    Quanto a Jesus, como qualquer criança judaica, foi circuncidado quando tinha oito dias de vida e foi nesse dia que recebeu o nome de Jesus.
Nessa altura, João, o primo de Jesus, que era seis meses mais velho do que Ele, foi escolhido por Deus para ser profeta, e convidava os crentes a prepararem os caminhos do Senhor.
Àqueles que escutavam as suas palavras, propunha um batismo em que pedissem perdão pelos seus pecados e se propusessem mudar de vida.
Era um gesto pessoal, parecido com o que têm hoje algumas pessoas quando fazem um retiro. Jesus, que queria ser solidário com o seu povo, também recebeu o Batismo das mãos do Seu primo.
João dizia: «Eu batizo-vos em água, mas vai chegar Quem vos vai baptizar no Espírito Santo». Estava a falar de Jesus, que enviaria os seus discípulos a baptizar todas as nações.
E foi o Batismo de Jesus que te foi dado.
Foste mergulhado na sua morte e ressuscitaste com Ele. Já recebeste o Espírito e acolhê-lo-ás ainda mais plenamente na tua Confirmação, ou Crisma.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

VER DEUS PELAS COSTAS NUM MUNDO AO AVESSO


albanonogueira2012@sapo.pt
http://operfumededeus.blogspot.com



EXPERIÊNCIA DE DEUS

Um cego pode falar de luz? Talvez, pela sua ausência.

Deus pode ser visto também naqueles lugares onde menos a gente imagina que Ele possa estar. São as situações de absurdos pessoais, sociais, clamando por uma razão.

Deus é santidade, mas pode ser numa hora de pecado e treva que a Sua existência se vai fazer sentir.

Deus é certeza que tudo sustenta, mas pode ser numa hora de dúvida que se vai perceber a necessidade de se apoiar n’Ele.

Deus é claridade, mas pode ser que a Sua luz chegue quando o nosso psiquismo mais seja afetado por traumas e neuroses.

Deus é amor e justiça, mas pode ser que a Sua presença seja reclamada num mundo desintegrado pela injustiça, pela fome, pela discriminação, pela violência.

Deus é vida, mas pode ser que a proximidade dos seus passos se faça perceber no meio da agonia e da morte.

Num mundo ao avesso, o homem torna-se rebelde e luta para pôr a casa em ordem.

A descoberta de Deus nasce, nestes casos, não de melodias das preces e do perfume dos incensos nas cerimónias das catedrais, mas nasce dos escombros de um mundo em ruínas e a fé na sua presença se transforma para o homem num grande impulso de reconstrução.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

VOU À MISSA / EUCARISTIA



A EUCARISTIA, UMA FESTA
Os cristãos reúnem-se todos os domingos para a Eucaristia. Eucaristia quer dizer: ação graças, agradecer.
Agradecem a Deus Pai pelo Seu amor que dá vida.
Agradecem a Jesus Cristo, filho de Deus que deu a Sua vida, morreu e ressuscitou, a fim de mostrar a grande ternura de Deus por todos os habitantes da terra.
Agradecem ao Espírito Santo que torna os homens e as mulheres capazes de oferecer o seu amor e a sua vida no seguimento de Cristo.
Aos domingos os cristãos reúnem-se para fazer memória- que significa guardar no coração, viver hoje- da última Ceia que Jesus tomou com os seus apóstolos, onde instituiu a Eucaristia, a primeira missa, antes de ser atraiçoado e preso.
Durante a refeição, Jesus pega no pão, dá graças a Deus e diz: “Isto é o meu corpo que vai ser entregue por vós.
Depois pega numa taça com vinho e diz: “este cálice é o meu sangue que vai ser derramado por todos”.
Corpo e Sangue entregues para a salvação do mundo.
Jesus dá-se todo, inteiro, por amor, a fim de libertar os habitantes da terra do poder do mal e do pecado.
Na Eucaristia, os cristãos fazem os gestos da última ceia, ou da primeira missa.
Os apóstolos e os cristãos de todos os tempos, alimentam-se da vida e do amor sem limites de Jesus Cristo, Filho de Deus.
É na medida em que recebemos o corpo e o sangue de Jesus, que podemos caminhar com Jesus, oferecendo e partilhando a vida a fim de que os seus irmãos da terra experimentem a felicidade preparada por Deus para todos os seus filhos.
A Eucaristia é uma festa, um grande momento de alegria, pois Deus convida-nos a receber a Sua vida e a partilhá-la com os outros.
A festa do encontro de Deus e dos habitantes de toda a terra. É festa porque Deus dá a Sua vida.
É festa porque os homens e as mulheres maravilham-se ante o amor de Deus dado a todos por Jesus Cristo.
É festa porque os homens e as mulheres aprendem de Deus a dar o seu amor à imagem de J Cristo.
Que felicidade é termos Jesus vivo na Eucaristia, escondido na Hóstia consagrada.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

DEUS NA HISTÓRIA DE CADA UM

albanonogueira2012@sapo.pt
http://operfumededeus.blogspot.com


PERCEBER DEUS

A natureza do ser humano é, por si só, um sinal, um lugar da experiência de Deus.
À medida que eu caminho na vida, se estou atento, posso ter a experiência de Deus como alguém vivo, presente e perto de mim.
Esta experiência pode ser na infância, na juventude, na idade adulta. Pode ser por meio de um acontecimento alegre, ou uma provação dolorosa.
Pode ser o vazio da existência ou a sensação de que, apesar de tudo, há razão para confiar.
Há momentos e circunstâncias mais favoráveis à experiência de Deus e isso pode, ser entre a adolescência e a juventude em que se dá uma certa conversão religiosa.
Podem ser as celebrações do amor, o facto da morte, são acontecimentos densos de transparência divina.
A Experiência de Deus pode ser ao longo de toda a vida, quando olhamos para trás e vemos que tudo um sentido, como um raio de luz que ilumina as alegrias, as tristezas, as vitórias, os fracassos, os projetos.
A experiência de Deus na história da própria vida é uma coisa muito pessoal e muito íntima, exclusiva. O que eu vi e experimento na minha relação com Deus, pode não ser visto, nem entendido pelos outros.
O que é significativo para mim, pode não ser significativo para os outros, pois a experiência de Deus é pessoal e única.
O importante é que Deus passa, caminha connosco, interessa-se por mim e seria muito triste deixar correr as oportunidades sem O descobrir na vida.

sábado, 4 de agosto de 2012

PORQUE SE BATIZAM AS CRIANÇAS?



Porque é que se batizam as crianças?
    A resposta é muito simples: para as acolher na família cristã.    
    Diz-se muitas vezes que, pelo Batismo, elas se tornam filhos de Deus.
Mas é claro que isso não significa que Deus esteja à espera desse dia para as amar mais um bocadinho.
Será talvez mais correto dizer que os pais apresentam o seu filho ou filha à Igreja e que reconhecem, com ela, que esse recém-nascido é um filho de Deus.
Aquando do Batismo, os pais e os padrinhos renunciam, em nome da criança, a tudo o que corrompe o mundo e magoa Deus (aquilo a que se chama pecado); proclamam a sua fé em Deus-Pai, no seu Filho ressuscitado e no Espírito Santo.
O padre deita depois água sobre a cabeça da criança (ou então, nalgumas paróquias, mergulha-o na água).
É como se, com Jesus, ele estivesse até então mergulhado na morte («Batismo significa «imersão») e saísse vivo do túmulo para renascer com Ele.
Com Jesus, o cristão já atravessou a morte. E já não tem medo de amar até ao fim, como Ele fez.
Logo depois do ritual da água, a criança é ungida na testa com um óleo a que se chama Santo Crisma e que na Bíblia consagra os sacerdotes, o profetas e os reis.
A criança veste uma roupa branca, uma roupa de festa com a cor da alegria eterna.
Os padrinhos levam uma vela que se acende no círio pascal, o que significa que a luz de Jesus iluminará o novo baptizado ao longo da sua vida.
Sabes que, durante os primeiros séculos da Igreja, eram os adultos que pediam o Batismo?
Hoje também há cada vez mais jovens e adultos que, tendo descoberto a beleza da fé, pedem pessoalmente para fazer parte da comunidade dos cristãos.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO


       TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO
A Sagrada Escritura diz-nos que cada cristão batizado é templo do Espírito Santo.

Foi escolhido por Deus para ser a Sua morada, para ter em si mesmo a vida eterna, a vida abundante de Deus, vida de paz, de alegria, de felicidade, de salvação.
Cada batizado deve viver unido a Deus, unido a Cristo e unido à Igreja com todos os seus membros, os fiéis.
É o Espírito Santo que dá a vida a todo o corpo.

Dizemos no Credo que o Espírito Santo é o “Senhor que dá a vida”.

Não se refere à vida do corpo, mas à vida de Deus em nós que é Eterna.
Se é uma vida, transmitida, dada, no batismo, ela tem de ser alimentada.

Se não alimentarmos a vida, ela morre.
Se não alimentarmos a vida de Deus em nós pela oração, pela leitura e escuta da palavra de Deus, pelos sacramentos, a vida de espiritual, a vida da graça, esmorece, definha e morre.
Deus chama-nos a uma vida de união com Ele e com Cristo na terra e esta união implica a união a uma comunidade, a Igreja.
A vida humana tem de ter duas orientações: a horizontal e a vertical.
Orientação horizontal para este mundo, para as coisas e pessoas; e a orientação vertical para Deus (como a cruz tem dois traços).
Amar a Deus sobre todas as coisas, adorar a Deus acima de todas as coisas e pessoas.
Aceitar Cristo como Senhor, como Redentor, como Salvador, como Libertador, como o Mediador (ponte) entre Deus e os Homens.