Número total de visualizações de página

sábado, 29 de agosto de 2009

AJUDA-TE A TI MESMO (A)


albanosousanogueira@sapo.pt
http://operfumededeus.blogspot.com/

O sofrimento faz parte da vida, mas há muito sofrimento desnecessário que não fazia falta existir e que Deus não quer.
Nós sofremos, muitas vezes porque não sabemos orientar bem o nosso pensamento e as nossas emoções. Somos maus para nós mesmos.
Muito sofrimento vem porque nós pensamos e damos valor a coisas que não devíamos dar e amamos coisas ou pessoas de forma incorrecta.
O nosso pensar é muito importante. Se pensarmos em coisas boas, no bem, na bondade, na amizade, teremos alegria e felicidade.
Se não dermos importância ao mal, se não dermos importância ao que os outros pensam ou dizem de nós, não ocupamos o pensamento com isso e se dermos valor à nossa pessoa, o nosso sofrimento será muito menor.
O primeiro passo a dar é: PURIFICAR O NOSSO PENSAMENTO. Ter boas ideias, não pensar no mal, nem se preocupar com o que os outros dizem ou pensam de nós. Ignorar isso. Não dar importância nenhuma a isso.
O segundo passo é PURIFICAR AS NOSSAS EMOÇÕES: os nossos sentimentos, o nosso coração: AMAR DE FORMA CORRECTA.
Amar-se a si mesmo, amar os outros, a começar pelos pais, marido, esposa, filhos, irmãos, parentes.
Ter um BOM CORAÇÃO. TER BONS SENTIMENTOS. Gostar, amar a começar por si mesmo (a).
Por isso, eu digo-te ajuda-te a ti mesmo (a). Gosta de ti mesmo (a). Respeita-te a ti mesmo (a).
Só assim SERÁS FELIZ A SÉRIO.
A causa da maior parte do teu sofrimento não vem de fora, mas de dentro de ti mesmo: do teu pensar e do teu sentir.
Pede luz a Deus para teres boas ideias e um bom coração, bens sentimentos. Não desejes o mal a ninguém; faz o bem aos outros, ama-te a ti mesmo e toda a tua vida será luminosa, pacífica, serena.
Como Jesus e Maria de Nazaré, sê manso, humilde, bom, puro, pacífico, generoso, casto, paciente, caridoso, moderado. E SERÁS FELIZ e o teu sofrimento será muito menor.
Não te iludes, não te enganes. A culpa do teu sofrimento não é dos outros, o mal que te faz sofrer não vem de fora, mas de dentro de ti mesmo.
O mal não vem do demónio, nem dos espíritos, nem das almas do outro mundo, nem dos maus-olhados, nem dos males de inveja, nem das pragas que os outros te rogam. Não acredites nisso. Tudo isso é conversa mentirosa, engano, ilusão.
O mal que te faz sofrer, na maior parte das vezes, vem de dentro de ti mesmo: do teu pensamento e das tuas emoções: pensas mal e sentes mal. Pensas o que não deves e amas o que não deves…
A luta que tens de travar na tua vida não é contra os outros, mas contra o mal que há em ti mesmo: na tua cabeça e no teu coração.
Quando essas duas realidades estiverem livre de lixo, de porcaria, de veneno, de maldade, eu garanto-te que TU SERÁS MUITO FELIZ.

Teu amigo Pe. Albano Nogueira



quinta-feira, 27 de agosto de 2009

TANTA MENTIRA, TANTO ENGANO







Na minha vida sacerdotal tenho encontrado tanta gente doente da cabeça, da alma, do espírito; quer dizer, sofrem de doenças não biológicas, não corporais, embora mais tarde ou mais cedo também o seu físico seja afectado.

Essas pessoas sofrem de dois males: do PENSAMENTO (pensar) e do SENTIMENTO (sentir).

O PENSAR dessas pessoas encontra-se doente porque pensam em males vindos de fora: almas do outro mundo, espíritos, demónios, mau olhado, invejas, pragas, etc…

O SENTIR dessas pessoas, o seu coração, encontra-se doente porque têm maus sentimentos ou ressentimentos contra alguém. Há uma certa raiva, ódio, desejo de vingança, medo. Umas vezes contra os outros, outras vezes contra si mesmo…

Essas pessoas vão aos médicos, bruxas, bruxos, curandeiros, espíritas, tarólogos, seitas, parapsicólogos, psiquiatras… Algumas vezes melhoram um pouco, outras vezes nem por isso, ou até pioram...

Gastam rios de dinheiro e resultados quase nada…

São pessoas fragilizadas, enganadas, exploradas, usadas e até abusadas.
Tanta mentira, tanto engano de gente procurando em lugares errados o remédio para os seus males. Tenho pena dessa gente…

A solução é: sarar o pensamento e sarar o coração.

1- SARAR O PENSAMENTO. Saber que o mal não vem de fora, mas de dentro. O mal vem do seu próprio pensamento. Ter ideias correctas. Não acredite no que dizem os bruxos (as), os espíritas, os curandeiros, os cartomantes, etc….

É TUDO MENTIRA. Não acredite em males de inveja, mau olhado, pragas, almas do outro mundo, demónios, espíritos que põem as pessoas doentes. ISSO É TUDO MENTIRA.

O que é preciso é ter ideias correctas e não viver obcecado a pensar sempre nessas coisas. Não dê importância ao que os outros dizem ou pensam de si.

Acredite em si mesmo (a). Confie em si mesmo (a). Goste de si mesmo(a).

2- SARAR O CORAÇÃO. Tirar do coração toda a maldade, ressentimentos, raivas, ódios, vinganças contra alguém.
Ame a família: pai, mãe, filhos, marido, esposa, irmãos…
Ame-se a si mesmo (a)...
Esvazie o seu coração dos maus sentimentos, seja amigo (as) dos outros), deseje o bem a todos. Esqueça quem lhe quer mal. Não pense nessas pessoas, ou em quem lhe fez mal. Ignore essas pessoas.

Ame a Deus, ame os outros, ame-se a si mesmo (a) e vai ver que tudo lhe vai passar.

Os medicamentos podem dar uma pequena ajuda, mas não resolvem o problema porque não atacam as verdadeiras CAUSAS. Apenas os EFEITOS… E se as causas permanecem, a pessoa continua doente por mais comprimidos que tome, com a agravante de ficar dependente dos medicamentos e de gastar muito dinheiro sem necessidade.

Eu estou a falar das CAUSAS que levam muitas gente a ficar doente. Acredite em mim (e em você mesmo/a).

Por favor não acredite em mentiras tal como mau olhado, males de inveja, pragas, espíritos, almas do outro mundo, demónios, como causa de doenças. É TUDO MENTIRA…

NÃO VÁ À BRUXA, NEM AO ESPIRITISMO, NEM ÀS SEITAS...
PARA TEU BEM. É TUDO MENTIRA…
A causa está no teu próprio pensamento e no teu próprio coração.

Pe. Albano Nogueira

terça-feira, 25 de agosto de 2009

DIFICULDADES NA ORAÇÃO

albanosousanogueira@sapo.pt
http://operfumededeus.blogspot.com


1- Aridez, secura: procurar o Senhor em Si mesmo e não tanto o que Ele nos dá…

2- Encontrar silêncio exterior e depois também interior. Hoje há medo do silêncio, medo de a pessoa se confrontar consigo mesma. O silêncio é a linguagem de Deus.

3- Desculpa de muito trabalho e pouco tempo para a oração. Temos de ter tempo para trabalhar e tempo para orar. Cristão sem oração é como um corpo sem alma, um barco sem leme, uma ave sem asas, uma árvore sem raízes, uma flor sem aroma.

4- Pensar que só é boa a oração em que sentimos fervor, emoção. A melhor oração é a que deixa melhores marcas.

5- Tentação de fugir das exigências do Senhor, ou querer um Cristo sem cruz, um Cristo fácil, sem exigências, sem mudanças, sem conversão.

6- Desculpa para não rezar: não sei o que dizer, o que fazer, como começar. Ser amigo de Jesus leva o seu tempo, faz falta conhecer-nos. Depois, as palavras, o gesto oportuno, as formas, saem por si.

7- Queixas de distracções na oração. Distraímo-nos porque “a louca da casa”, a nossa imaginação não pára e tem de ser evangelizada.
Se te distrais com alguma coisa, trazes essa coisa para a oração e rezas essa coisa, essa pessoa, essa situação. Reza: “Senhor, é a erva do meu jardim. Transforma-a, com a Tua graça, numa flor perfumada para Ti” e tenta recolher-te de novo.

8- Tentação de deixar a oração parece que não serve para nada, não vemos resultados. Temos de ser determinados, perseverantes, vigilantes, ter uma grande força de vontade, querer mesmo orar e não desanimar. Estamos habituados ao activismo e custa-nos estar parados, em silêncio. Deixar a oração nada resolve e deixa-nos mais vazios, perdendo a vida, a paz, a alegria.
9- Tentação do individualismo, fechar-nos no nosso mundo interior. Uma oração autêntica abre-nos aos outros, dilata o nosso coração (Rogar a Deus pelos vivos e pelos defuntos…). A oração tem de nos comprometer com a família, o grupo, a paróquia, a nação. Não podemos orar só para nos sentirmos bem, mas para “ser” e “fazer” o que Deus quer de nós.

10- Cansaço de da vida, cansaço de orar. Rezar os nossos problemas. Imaginar o sofrimento de Jesus na Sua Paixão: flagelado preso a uma coluna, coroado de espinhos, escarnecido, carregando com a cruz, sendo despojado, crucificado.
Lembrar-nos que ninguém nos ama como Ele, que Ele compreende o que sentimos, e que nos anima a levantar o ânimo. Pensar que Ele passou muito mais do que nós passamos.

11- O sono é uma dificuldade para orar. Tentar escolher um momento mais próprio. A pessoa pode lavar a cara, tomar qualquer coisa, caminhar. Se tiveres muito sono, dorme. Ver se podes mudar o horário. Se queres seguir Jesus tens de estar alerta, atento e não se desleixar.

12- Um grande problema é separar a oração da vida. A fé e a vida têm de andar juntas. Temos de trazer a vida para a oração e levar a oração para a vida. A oração deve transformar a nossa vida. Se não nos vamos parecendo com Jesus, se não vamos amando como Ele, se não vamos adquirindo só seus sentimentos, é sinal de que não estamos a rezar como deve ser.


(continua)

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

RECURSOS E AJUDAS PARA A ORAÇÃO


http://operfumededeus.blogspot.com

Pôr os olhos em Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Foi igual a nós em tudo: sentiu o que nós sentimos, viveu em plenitude a sua humanidade, teve projectos, sonhos, ideais, foi descobrindo a sua missão. Foi conhecendo o Pai e abrindo-se aos homens. Trabalhou, sofreu, chorou, sofreu e morreu como nós. Foi diferente: não pecou.

1-A PALAVRA DE DEUS.
É uma grande ajuda para rezarmos. Pegarmos na Palavra de Deus, lê-la e sublinhá-la as passagens que mais nos digam. Meditar, rezar essa passagem.

2- TER UM OU MAIS ROSTOS DE JESUS CRISTO.
Ajuda a concentrar-nos na oração, a tê-lo presente, a pedir alguma das suas atitudes. Gravar o rosto de Jesus no nosso íntimo e na memória ajuda-nos a ser mais parecidos com Ele.

3- TER UM BLOCO ESPIRITUAL
para escrevermos as frases ou experiências que se vive na oração. Escrever a própria situação perante si e perante Deus. Escrever frases, orações, falar a Deus de si, da sua situação, das suas intenções.

4- FAZER UM ORATÓRIO, ou um recanto no quarto ou em casa,
criar um espaço para Jesus na vida da família. Pode-se fazer lá a oração diária.

5- LER BONS LIVROS ESPIRITUAIS.
Ajuda a meditar e a rezar e a ter coisas para louvar a Deus, para falar com Jesus, para louvar a Deus.

6- Pode ser importante TER UM GUIA OU DIRECTOR ESPIRITUAL.
Um sacerdote e tratar com amigos de Deus. Falar com outros sobre Deus.

7- A COMUNHÃO DOS SANTOS é um grande meio para ser fiel.
Fazer-se amigo dos santos. Ler livros dos santos, conhecê-los e rezar-lhes para os imitarmos e pedir que nos ajudem a caminhar na santidade. Pedir ajuda para não nos desviarmos dos caminhos de Deus.

8- REPETIR JACULATÓRIAS ou frases evangélicas ajudam-nos a sentir a presença de Deus ao longo do dia:

Meu Deus eu creio, adoro, espero e amo-vos…
Senhor eu creio em Vós, mas aumentai a m/fé.
Senhor, espero em Vós, mas aumentai a minha esperança.
Senhor, eu Vos amo, mas aumentai o meu amor.
Sagrado coração de Jesus que tanto nos amais… Jesus fica comigo.
Senhor Tu és o Caminho, a verdade e a vida. Meu Senhor e meu Deus.
Obrigado Jesus porque és meu amigo.
Jesus fica comigo. Jesus fica no meu coração.
Meu Senhor e meu Deus.

9- LER AS LEITURAS DO DIA DA MISSA,
leitura seguida do evangelho, pausada, meditada. Ler livros espirituais.

10- ESCUTAR UMA CANÇÃO RELIGIOSA de mensagem, um poema, uma oração, música de fundo instrumental suave própria para oração.

11- MOTIVAR A VIVÊNCIA DO MÊS com alguma frase, uma imagem. Mês de Maria (Maio), mês do Coração de Jesus (Junho), mês de S. José (Março), mês das almas (Novembro).

(continua)

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

OS SENTIDOS INTERIORES NA ORAÇÃO


albanosousanogueira@sapo.pt

http://operfumededeus.blogspot.com


Nós temos 5 sentidos corporais e devemos elevá-los a uma dimensão espiritual:
1- Visão: Visão espiritual: ver a Deus na criação e ver a Deus nas pessoas.
2- Audição: ouvido atento para perceber a voz de Deus que fala para nos. Fala na Palavra e fala no coração.
3- Olfacto: que nos permite sentir a Deus nas pessoas e ser o perfume de Deus, o bom odor de Cristo.
Nós cheirar bem na alma, como gostamos de cheirar bem no corpo.
4- Gosto: que saboreia as coisas de Deus como saboreamos a comida, a bebida.
5- Tacto: graças ao qual podemos tocar o Verbo da Vida. Tocar as coisas e as pessoas como criaturas sagradas que devemos respeitar.

1. MÉTODO DE ORAÇÃO- COMO?
Modelo nº 1
1. Oração inicial, invocando o Espírito Santo
2. Leitura lenta e atenta de um texto bíblico ou algum texto espiritual
3. Momento de silêncio interior, rever o que se leu.
4. Ver bem o sentido de cada frase.
5. Actualizar e ruminar a Palavra, levando-a à vida
6. Relacionar o texto com os outros
7. Ler de novo, rezando o texto e respondendo a Deus
8. Formular um compromisso de vida
9. Rezar um salmo apropriado
10. Escolher uma frase ou uma palavra como resumo para memorizar.
Modelo nº 2
1- Pedir ao Senhor perdão pelos pecados e fazer o sinal da cruz.
2- Procurar a companhia de Jesus
3- Representar Jesus junto de ti e olhar com que amor te está a ensinar a rezar
4- Olhar para Jesus que também olha para ti, apesar dos teus pecados.
5- Jesus alegra-se com o nosso olhar para Ele
6- Se estás alegre, pensa em Jesus ressuscitado. Se estás triste, pensa em Jesus atado à coluna, na cruz, despedaçado pelo muito que te ama. 7
7- Diz-lhe o que sentes no teu coração. Simplesmente faz-lhe companhia.
8- Para terminar diz-lhe na tua oração: “Juntos andemos, Senhor”.


QUANDO DEVEMOS ORAR?
Todos os dias. O tempo que dedicamos às coisas, mostra o valor que lhe damos.
Encontrar o melhor momento: manhã, tarde, noite…
Estamos a falar da oração pessoal, individual, mas existe também a oração comunitária
Deus é bom e recompensa o nosso sacrifício

QUANTO TEMPO DEVEMOS ORAR?
Depende do grau de amizade que queiras com Jesus. Sempre arranjamos tempo para estarmos com os amigos. Quanto mais Deus tiver valor, mais tempo lhe damos.
O mínimo deve ser um quarto de hora por dia: 15 minutos.
Damos 8 horas para trabalhar, 8 horas para dormir, muitas horas para comer, divertir-nos, tempo livre.
SE DERMOS 15 MINUTOS A DEUS, NÃO É MUITO. Deus é como um manjar de que comem muitas pessoas. Uns comem pouco, outros mais, outros muito.

(continua)