Número total de visualizações de página

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

DEUS PODE TUDO?



Consulte o meu outro blog:

http://operfumededeus.blogspot.com/


Um dos artigos do credo diz que Deus é Todo-Poderoso.
Mas será que Deus pode mesmo tudo?
Há coisas contraditórias que Deus não pode fazer: Deus não pode fazer um círculo quadrado…
Deus não altera as condições atmosféricas e as leis da natureza… (A não ser por milagre…).
Deus age como Deus e não pode agir de outra maneira. Deus não pode fazer o mal. Deus também não quer ir contra a liberdade humana que é uma característica do ser homem e que Deus respeita até às últimas consequências…
Deus é Todo-Poderoso, mas renunciou ao seu poder, para permitir aos humanos existirem de modo verdadeiramente livres. Para serem livres, Deus como que teve de renunciar ao seu poder… Deus não se impõe aos humanos de forma evidente para os levar a aceitarem a Sua existência e nada impõe, apenas propõe e os humanos até têm a liberdade de dizer que “Deus não existe…”.
O todo poder de Deus tem de ser entendido naquilo que o Amor pode fazer.
Deus só pode aquilo que o AMOR pode. Deus ama, mas não obriga os humanos a amá-l’O.
Nós não somos só amor. Em nós também há ódio, maldade.
Às vezes pergunta-se: “Porque é que Deus permite que uma pessoa faça tanto mal no mundo (um grande criminoso) e não tira a vida a essa pessoa?”
Deus não o faz porque respeita a liberdade humana totalmente. Se Deus agisse como nós gostaríamos, Deus deixaria de ser Deus e seria como nós O imaginamos… Um ídolo. Deus é Deus porque age de forma diferente de nós, diferente do nosso jeito de pensar e diferente das nossas conveniências!
O mal não vem de Deus, mas dos humanos que usam mal a sua liberdade e Deus respeita absolutamente o Homem livre, pois sendo livre, a pessoa também é responsável perante a justiça humana e um dia perante a justiça divina…
Deus faz silêncio, cala-se (embora fale pela boca dos humanos que denunciam toda a espécie de mal), para um dia, no além, poder falar e revelar-se plenamente aos humanos.

P. Albano Nogueira

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

PEDI E RECEBEREIS



Consulte o meu outro blog




Alguém me interpelou:


"Está escrito na Bíblia que Deus disse: "pedi e recebereis...".


Neste contexto, eu então pergunto: como ficaremos quando perante o sofrimento, pedimos a Deus alívio para os nossos males e as nossas orações não são ouvidas?".


As palavras de Jesus "pedi e recebereis" são um convite à confiança na bondade e no amor de Deus. Jesus não diz que vamos receber tudo e quando nós quisermos nem como nós quisermos.


Deus sempre nos ouve, talvez não responda como nós desejaríamos.


Há certas situações tão dolorosas em nós e nos outros que nesses momentos não adianta falar muito. Adianta estarmos unidos e presentes a quem sofre. Estar prontos para aliviar o sofrimento se pudermos. Dizer ao outro que pode contar connosco.


Recorrer aos médicos para ajudar no sofrimento e quando não houver mais nada a fazer da nossa parte, abandonar-se ao amor e bondade de Deus sem se revoltar porque isso nada resolve.


Fazer do sofrimento uma oração e entregar-se nas mãos de Deus dizendo: "Senhor, eu não entendo o porquê deste sofrimento, mas quero ficar em paz. Aceito o que me está a acontecer e em que eu nada posso fazer. Dá-me, Senhor a Tua paz, a Tua confiança e a aceitação serena deste sofrimento".


Nós às vezes pedimos coisas que pensamos serem boas para nós; mas Deus na Sua Sabedoria conhecedora de tudo (passado, presente e futuro), sabe que isso até pode ser mau para nós.


Veja-se este exemplo: uma criança brinca com uma faca ou com uma garrafa de lixívia. O pai e a mãe sabem que essas coisas são um perigo para a criança. A criança pensa que isso é bom para ela e chora e grita se o pai ou a mãe lhe tira a faca ou garrafa de lixívia porque não entende mais. Mas o pai e mãe entendem, e por isso, lhe tiram esses objectos. O que a criança pensava ser bom para si mesma, os pais sabiam que era um mal.


Passando para outra realidade assim acontece entre Deus e nós. O que para nós é um bem e nós pedimos a Deus, pode ser um mal no ponto de vista do Amor de Deus e o que é mau para nós, pode ser um bem no ponto de vista de Deus.


Outro exemplo: às vezes vejo um jogador de futebol benzer-se e rezar antes de entrar em jogo. Ele está a pedir: "Senhor Deus, ajuda-me a vencer este jogo". Mas se Deus o ajudar está ser mau, injusto. Porque está a tomar partido por uma equipa contra a outra equipa e todos são filhos de Deus. Como um bom pai e uma boa mãe não devem tomar partido por um filho contra o outro.


Por isso, rezar e pedir, neste e noutros casos, é em vão pois Deus seria injusto de ajudasse um jogador (seu filho) contra outro jogador (também seu filho) ou uma equipa contra a outra.


O mais importante é purificar o nosso conceito sobre Deus e entender que DEUS QUER SEMPRE O MELHOR PARA NÓS. SABER QUE DEUS NOS AMA SEMPRE COMO O MELHOR DOS PAIS E A MELHOR DAS MÃES. NUNCA DUVIDAR DO AMOR DE DEUS POR NÓS.


Sabendo isto, eu devo ficar em paz, mesmo que me aconteçam contrariedades, desgraças, sofrimentos e confiar sempre em Deus.


Fazer tudo o que depende de mim e dos outros, e confiar em Deus que fará o resto, segundo a sua vontade e os seus desígnios de Amor de Pai.


P.Albano Sousa Nogueira

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

SABER OLHAR PARA DENTRO DE SI MESMO










"- Porque é que estão todos felizes, menos eu?
- Porque aprenderam a ver a bondade e a beleza em todo o lado, respondeu o mestre.
- E porque é que eu não consigo ver a bondade e a beleza em todo o lado?
- Porque não podes ver fora de ti o que não vês dentro de ti".

(Antony de Mello)


Este diálogo entre discípulo e mestre diz-nos uma grande verdade: o nosso olhar sobre as coisas e os outros depende da forma como olhamos para nós.
Muitas vezes não damos valor ao que somos, ao que fazemos, ao que temos; desprezamo-nos, desvalorizamo-nos e não damos o justo valor a nós mesmos; não nos amamos de forma correcta.
Deus ama-nos tal como somos, mas nós não...
Jesus ensinou a amar os outros como a si mesmos. Quando nos amarmos de forma justa e equilibrada e nos valorizarmos a nós mesmos, na mesma medida vamos valorizar os outros e viver mais em paz com eles.
As guerras que fazemos com os outros, são, muitas vezes, sinal do mal estar que se dá dentro de nós mesmos.
Quem estiver em paz consigo mesmo, com o que tem, com o que faz, com o que é, com o seu ambiente, com as circunstâncias que o rodeiam, mais facilmente ficará em paz com os outros.
Por isso, em vez de pedirmos e exigirmos que os outros mudem, cada devia COMEÇAR POR SI MESMO A MUDAR.
Quase sempre nos queixamos dos outros. mas se quisermos a paz, temos de começar por mudar nós mesmos, evitar as pequenas e as grandes guerras sem esperar que os outros mudem.


EM VEZ DE CORTAR OS ESPINHOS QUE HÁ NOS OUTROS, O MELHOR É CALÇAR SAPATOS E LUVAS para que esses espinhos não magoem.

Eu mudo se calçar sapatos e luvas, em vez de querer mudar os outros, cortando os seus espinhos.
E se eu já mudei e me protegi com luvas e sapatos, os espinhos dos outros já não me magoam.
Assim eles não mudaram. Continuam com os espinhos. Mudei eu usando luvas e sapatos e a paz existe entre todos...


P. Albano Nogueira




quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

PORQUE SE SOFRE TANTO?









Agradeço a ti que me lês e envias o teu comentário.


Elisa, a tua pergunta é difícil de responder.


"Por que será que existindo pessoas boas, que amam a Deus e praticam os seus mandamentos, são felizes e fazem os outros felizes, morrem jovens ou ainda muito novos? Para amar a DEUS então é necessário sofrer muito?"


O sofrimento é um mistério da vida humana. Porque é que se sofre tanto?

Sofrem os bons e os maus; sofrem os justos e os pecadores; sofrem os crentes e os ateus. Sofre-se em todas as idades.


Deus não quer o sofrimento, mas não o tira da nossa vida. Deus permite o sofrimento que é consequência, muitas vezes, da liberdade humana. Nem sempre sabemos de onde vem o sofrimento, a doença e a morte prematura para pessoas boas. Perante este mistério só há uma solução: aceitar aquilo que não pode ser mudado. A revolta contra a vida, contra Deus nada resolve. Pelo contrário. Para um cristão, ele deve entregar-se, abandonar-se nas "mãos de Deus" e dizer: "Senhor Deus, não compreendo o que se está a passar, mas aceito este sofrimento, esta desgraça, esta morte de alguém que me era querido e que me deixou. Senhor, dá-me a tua paz e a liberdade para aceitar tranquilamente este mistério que me envolve a mim ou a alguém querido. Dá-me Senhor, a Tua paz e a paz àquele(a) que me deixou".


Devemos tratar bem os vivos e rezar pelos defuntos.


Em relação ao sofrimento devo dizer também que Deus Pai luta contra ele a ponto de enviar o Seu Filho Jesus para o combater. Jesus combateu o mal do corpo sarando, curando as pessoas, promovendo a dignidade de todos e combateu o mal do espírito sarando doentes da mente, do coração; combateu o mal moral, perdoando os pecados.

Jesus fez-se solidário connosco em tudo, menos no pecado, por isso também sofreu e também morreu e esta solidariedade diz-nos que a vida humana tem sempre sentido ainda que a pessoa sofra muito.



Deus quer a alegria, a vida, a felicidade completa e integral de todas as pessoas. Nem sempre quem está doente e sofre é infeliz.


Para amar Deus não é necessário sofrer muito, entendo esta frase como se Deus quisesse o sofrimento. Quem pensa que Deus (que é o o melhor dos pais e a melhor das mães) quer o sofrimento, essa é uma imagem errada de Deus que faz d'Ele um ídolo, um falso Deus.


Deus Pai também viu o Seu Filho Jesus sofrer na Sexta Feira Santa a nada fez. Permitiu que o Seu Filho, ainda jovem de 33 anos sofresse e morresse injustamente. E Jesus manteve-se sereno tendo dito: "Pai, se é possível, afasta de mim este cálice. Porém, não se faça como eu quero, mas como tu queres".

Devia ser esta a nossa atitude: uma obediência a Deus se Ele permitir que o sofrimento nos bata à porta.


Elisa, isto é o pouco que sei e posso dizer para te esclarecer. Obrigado.


P. Albano Nogueira

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

SENTIR-SE AMADO POR DEUS


DEUS É AMOR.
Deus ama todos os homens. Mas nem todos se sentem amados por Deus. Sentir-se amado é sentir-se escolhido, abençoado por Deus para receber os seus bens materiais e espirituais.
Esta é uma descoberta maravilhosa e muito importante que pode revolucionar a vida de qualquer pessoa.
O baptismo de Jesus é um marco muito importante na sua vida, pois representa o começo da sua vida pública. A partir daqui torna-se uma figura pública, conhecido, anda de terra em terra, anuncia o Evangelho, convida as pessoas a serem boas, a amar a Deus e a amarem o próximo.
No Baptismo de Jesus Deus Pai disse: "Tu és o meu Filho muito amado".
É esta mesma frase que cada um de nós devia fazer a experiência.
Fecha os teus olhos, imagina-te criança ao colo de tua mãe, da tua madrinha a seres baptizada (o).

Imagina-te a seres ungida, marcada, assinalada com o azeite sagrado; imagina-te a seres baptizada com a água símbolo da vida de Deus que te é dada nesse momento; imagina a vela acesa na tua mão símbolo da fé em semente que te é dada nesse momento.
Imagina que ouves a voz de Deus Pai: "Tu és meu filho, minha filha muito amado(a). Em ti pus toda a minha esperança e o meu amor".
Ser baptizado no cristianismo devia dar-nos esta sensação única de sermos amados por Deus nosso Pai. Amados por Deus para recebermos os bens da terra para o corpo e para o espírito e os bens do céu.
Um dia receber a HERANÇA DOS FILHOS DE DEUS. Essa herança é a salvação eterna. O bom pai e a boa mãe dá aos filhos os bens: alimentação, casa, conforto, segurança, amor, carinho, compreensão, etc. Um dia dar-lhes-á a herança.
Assim é Deus connosco porque Ele é o melhor dos pais e a melhor das mães.
Nossa herança é o CÉU, O PARAÍSO, que já começa neste mundo e terá continuidade com a morte.
É disso que eu quero falar contigo que lês estas páginas e não me preocupar em falar do inferno, do demónio, da condenação.
Deus quer sempre o melhor para nós: vida, alegria, paz, amor, saúde, felicidade. Mas isso também depende de cada um, nesta vida e na vida que virá com a morte.
A ti que me lês, eu digo: semeia o bem, a amizade, o amor, a paz, a verdade, a justiça, pois já serás feliz nesta vida. A tua vida terá mais sentido e quando morreres, se houver vida depois da morte, aí também serás feliz.
Eu acredito que há vida depois da morte, mas só a fé é que nos diz esta verdade...
A vida depois da morte é outra fase, outra etapa da mesma vida.
Assim como temos uma fase da vida dentro do ventre materno, temos outra fase de vida nesta mundo e teremos outra fase de vida com a morte. Mas a nossa vida é uma só. A nossa identidade (o meu eu) será sempre a mesma.
Se Deus te ama, procura também amar a Deus qualquer que seja a ideia que d'Ele tiveres. Mas não te esqueças que o Deus de Jesus Cristo é AMOR e é amando que seremos felizes. Amando a sério. Não falo de gestos e palavras de um amor menor (mais egoísmo do que amor).
Falo de AMOR Maior que é altruísmo, solidariedade, fazer bem aos outros. Amar é fazer bem aos outros... É colocar os outros em primeiro lugar; compreender os outros, respeitar os outros, ajudar os outros...
Claro que também temos que nos amar a nós mesmos e não deixar que nos pisem, nos calquem, pois isso será prejudicial para todos.
QUERES SER GRANDE COMO DEUS? ENTÃO AMA COMO DEUS:
AMOR GRATUITO, UNIVERSAL E INCONDICIONAL.
P. Albano Nogueira

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

DEIXA DEUS ENTRAR


http://operfumededeus.blogspot.com/

Meu irmão e minha irmã.

Deus existe fora de ti, fora de mim. Mas pouco interessa que Deus exista se Ele não tem influência na minha vida, na tua vida.
Repara nestes exemplos:

1- Podes ter diante de ti boa comida, bem preparada, mas se tu não a comes porque não queres ou porque não a podes, a comida de nada te serve. Está lá, mas não te faz proveito. Faz-te proveito se entrar em ti.

2- Podes ter muitos livros em casa, numa escola, numa biblioteca, mas se a mensagem não entra em ti, de nada serve a cultura e sabedoria que está nos livros.
Tens de receber essa cultura dos livros que entra em ti pelos olhos (se fores tu a ler) ou pelos ouvidos, se outros a lerem e te ensinarem.

3- O mesmo se passa com Deus. Deus está fora de ti, está à tua porta e bate, mas é preciso que tu Lhe abras a porta, Ele entre e tu O recebas na sua mensagem e assumas o que "Ele É" e o que Deus ensinou pelos pela Bíblia, pelos profetas, por Jesus e continua a ensinar pelos profetas de hoje: o Papa, os Bispos, os sacerdotes, os diáconos, os catequistas, os pais, os missionários do Evangelho.
Deus entra em nós pelos olhos (pelo que vemos), pelos ouvidos (pelo que ouvimos), pelo tacto, pelo paladar, pelo cheiro, pela inteligência, pelo coração...
Mas não basta deixar Deus entrar, é preciso conhecê-l'O, amá-l'O e segui-l'O na nossa vida. Deixar Deus ser Deus na nossa vida.
Deus, para muitos é uma ideia, um conceito, algo de abstracto, sem qualquer impacto e consequência na vida deles. Dizem acreditam em Deus mas esta fé em nada afecta a sua vida no sentido de fazer boas escolhas, boas opções em favor do bem, da verdade, da paz, da justiça, do amor, da solidariedade não ó para si, mas também para os outros.
Se Deus entrar em mim, em ti e crescer na nossa vida isso quer dizer que o meu "eu" diminui no que isso significa de negativo, egoísta, maldoso.
Se temos um copo cheio de água, para o encher com pedras, a águas tem de sair.
Quanto mais Deus entrar na minha vida, mais Deus crescerá e será em mim importante, influente e é sinal que eu me deixo conduzir e seduzir por Ele.
E quanto mais Deus e a sua lei for influente em mim, mais o bem me guia, me orienta e o mal diminui.
O mal em mim e no mundo diminui tanto mais quanto mais deixarmos Deus entrar em nós e com isso crescer o bem. Mas a opção é sempre minha, tua e de todos.
Deixar que Deus renove e transforme a nossa vida depende de cada pessoa. Ora isso implica tornar nosso, tornar próprio o que é de Deus e de Jesus Cristo, o Seu Filho. Tornar nosso nas palavras, nas ideias, nas intenções, nas acções.
É aquilo que já há muito tempo cantava o Padre Zezinho do Brasil: "amar como Jesus amou, pensar como Jesus pensou, viver como Jesus viveu. Sentir o que Jesus sentia, sorrir como Jesus sorria.
Trata-se de ser outro Cristo no meu ambiente. Eu ser imagem de Jesus, imitador de Jesus. Se Jesus estivesse aqui no meu lugar, como é que Ele pensaria, como é que Ele agiria, como é que Ele sentiria, como é que Ele falaria.
Quem olhar, falar e conviver comigo devia encontrar Deus em mim.

VIVER COMO JESUS VIVEU FAZENDO SÓ E SEMPRE O BEM.

Faz isso e serás feliz ao jeito de Jesus Cristo e do Seu evangelho.

P. Albano Nogueira

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

TER, SER E FELICIDADE



http://operfumededeus.blogspot.com/


Estes dois verbos são muitos importantes para compreendermos a nossa posição na vida, com a forma como encaramos a nossa existência e nos sentirmos mais ou menos felizes.
Primeiro que tudo na vida, precisamos de TER as condições necessárias para progredir no crescimento desde o nosso nascimento: ter alimentação, ter saúde, ter cuidados educativos, ter família. Há um mínimo de coisas materiais necessárias que precisamos de TER e isso não se opõe ao ser, pelo contrário, é necessário esse ter. Sem termos esse mínimo necessário o ser torna-se impossível.
Este é o pressuposto de base: precisamos de TER, dos bens materiais e sem eles tudo o resto é secundário. Se temos fome e não temos de comer, primeiro é comer. Se não temos saúde, primeiro é procurar uma forma de recuperarmos a saúde.
Depois de TER esse mínimo torna-se necessário pensar e examinar a nossa vida se realmente o que conta é TER ou SER.
Vivemos num mundo material com excesso de consumo e o ter muitas coisas, muito dinheiro, muitos bens materiais, ter fama, ter prestígio, ter bem-estar tornou-se o único objectivo de muita gente... As pessoas investem muito dinheiro no ter (bens materiais, coisas, comer, vestir...) e pouco investem no ser (estudos religiosos, comprar bons livros, ler a Bíblia, lutar contra os seus defeitos)... Pouco ou nada se faz para SER MAIS: SER mais bondoso, mais verdadeiro, mais justo, mais prestável, mais amigo, mais irmão.
TER não é mau se o usarmos par fazer bem aos outros e ajudá-los a eles também serem mais.
O ideal de vida e que mais contribui para a felicidade é o SER CADA VEZ MAIS e SER PARA OS OUTROS.
Jesus disse: "que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro se vier a perder-se a si mesmo?" (Lc 9,25).
O que se condena não é o TER, mas a ânsia do ter, a ganância, a cobiça, a inveja que leva até a roubos, a injustiças, a desonestidades e torna as pessoas escravas dos bens materiais... Neste caso, o dinheiro torna-se o "deus" o ídolo a quem se adora e a quem tudo se sacrifica, até a honra e a honestidade, agindo sem escrúpulos.
Muita gente preocupa-se apenas com o "parecer", o fazer figura ainda que seja à custa dos outros. Hoje é uma praga, um escândalo, um problema gravíssimo o que se passa no campo dos negócios: compra-se e não se paga. Faz-se obras e não se paga. O Estado faz isso, as regiões fazem isso; as câmaras fazem isso, muitos particulares fazem isso... Todo o mundo quer TER, quer fazer figura, mas não pagam, são caloteiros porque o que conta é TER, é PARECER, é fazer figura, não interessa o SER honesto, SER cumpridor, SER pagador, SER justo...
QUE QUER DIZER O - SER-?
Torna-se difícil definir esta realidade na sua totalidade. Podemos dizer que devemos SER ACTIVOS usando criativamente as capacidades humanas.
SER ACTIVO significa crescer, renovar-se, evoluir, dar-se, amar, estar interessado, viver desperto para a vida, cultivar as suas capacidades e dominar as suas dependências e escravidões.
SER exige renúncia ao egoísmo e egocentrismo que nos torna vazios e pobres.
A liberdade e a felicidade vem-nos mais se não formos escravos do ter, mas desenvolvendo o SER pela cultura, pela religião, pelo saber, pelo amar (os outros).
A felicidade pode-nos chegar se desenvolvermos actividades conformes com as virtudes (fé, esperança, caridade, prudência, justiça, fortaleza, temperança), em actividades altruístas (fazer bem aos outros).

O SER permanece. O TER pode perder-se neste mundo e perde-se na hora da morte.
Meu irmão e minha irmã de Janeiro, não invistas apenas no ter. Investe muito da tua energia em SER MAIS.
P. Albano Nogueira

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

ANO NOVO - DIA MUNDIAL DA PAZ


http://operfumededeus.blogspot.com/


ANO NOVO, VIDA NOVA

No começo de mais um ano preciso eu e tu de pensar nesta frase e naquilo que depende de mim e de ti para que a vida se renove e mude (se for necessária uma mudança para melhor).

Às vezes é preciso mudar de vida, lutar por uma vida nova, melhor.

Mas muitos pensam que isso depende dos outros. Todos queremos que os outros mudem, mas quem primeiro precisa de mudar sou eu...

A paz depende de mim e de ti; o bem estar depende de mim e de ti; a amizade depende de mim e de ti. A ordem e a harmonia dependem, em primeiro lugar de mim.
Não exijas que os outros mudem à força. Ama-os, aceita-os, compreende-os e será mais fácil para eles mudarem e a vossa vida mudar e transformar-se.
Aceita a diferença. Aceita os gostos diferentes dos outros e não queiras impor os teus.
Deus é Paz. Jesus é Paz e nada fez para se impor aos outros. Pelo contrário, esconde-se, é discreto, não se faz sentir.
A paz é um dom de Deus e de Jesus ressuscitado, nascido em Belém, mas essa paz tem de descer ao nosso coração e passar para os outros.
O primeiro lugar a precisar de paz é o coração de cada um de nós. Há muita gente sem paz interior, porque anda dividida: o corpo para um lado, o pensamento para o outro e o coração para outro.
Muitos não gostam do seu corpo, do seu pensar, dos seus sentimentos, não gostam de si mesmos, da sua família; não gostam dos seus vizinhos, do seu emprego, dos seus chefes, da sua terra, etc...
Esta divisão interior leva muitos a um desequilíbrio, a um mal estar, a um medo e até a ganhar doenças. Depois, vão a lugares errados (bruxas, curandeiros, videntes, espíritas...) e muitos ficam piores.
Todos esses são lugares errados e enganadores para encontrar a paz de que procuram e são enganados por gente que só quer é explorar economicamente essa gente fragilizada pelas suas doenças e divisões interiores.
Muitas pessoas e seitas exploram essa mentalidade que acredita em maus olhados, em feitiços, almas do outro mundo, demónios, etc... Tudo ISSO É MENTIRA. Nada disso me deve afectar.
Ninguém fora de mim me pode fazer mal: nem pessoas vivas que me desejam o mal e fazem feitiços, nem realidades espirituais (almas do outro mundo, demónio).
Só há uma pessoa que me pode fazer mal a nível espiritual: sou eu que posso fazer mal a mim mesmo, na medida em que acredito no mal. É o meu pensamento que me põe doente.
Tudo o resto é mentira...
O lugar da verdadeira paz é Jesus Cristo, a Igreja Católica. É aí que as pessoas deviam ir, falar e desabafar com um sacerdote e se for o caso confessar-se e receber o perdão de Deus e mudar o que está errado na sua vida.
Eu, pessoalmente, a cada passo sou chamado para ajudar pessoas doentes da alma, do coração e continuo disponível para ajudar outros. Gratuitamente.
A paz é um dom de Jesus e Jesus está na Igreja Católica, na oração, na Palavra de Deus, nos sacramentos.
Um Feliz Ano Novo para ti meu irmão de Janeiro.
P. Albano Nogueira