Número total de visualizações de página

terça-feira, 30 de junho de 2009

FÉRIAS, SOLIDARIEDADE, SILÊNCIO, ORAÇÃO

Muita gente, sobretudo os estudantes já estão de férias. Nem todos, mas muitos já estão e outros estarão em breve.
A ti que passas por este blogue, faço-te um convite: aproveita as férias para seres útil aos outros. A maior alegria e felicidade não é preocupar-se connosco, com a nossa vida, prazeres, gozos, mas a maior alegria de uma vida inteira é tentar fazer os outros felizes.
Quem só se preocupa consigo mesmo, dificilmente será feliz.
Quem se isola num quarto, com um telemóvel, televisão, computador, etc, torna-se egoísta, vazio
e a sua vida será banal e com pouco sentido.
Podes ajudar os pais em casa na cozinha, no jardim, no campo, nas limpezas.
Podes ajudar pessoas amigas, idosos, doentes.
Podes dar mais tempo aos outros: ajudar numa instituição de solidariedade social.
Podes participar mais na vida religiosa da tua Igreja.
Podes fazer silêncio, rezar, falar com Deus como quem fala com um amigo.
Podes ler bons livros, boas revistas, cultivar-te.
Contempla as estrelas, a lua, o sol, os montes, os vales, o mar, o rio, as plantas, os animais e vê tudo isso como uma pegada de Deus, um acto de amor de Deus por ti.
contempla a natureza nas férias e reza pela beleza, pela ordem, pela harmonia das coisas e diz: Meus Deus, como sois grande, belo, bom. Muito obrigado por tudo o que criaste e que eu posso
gozar.
Aproveita as férias sendo útil aos outros.
Muita gente mete-se em vícios porque a sua vida é vazia, nada faz pelos outros.
As férias são uma boa oportunidade para

Boas férias e um grande abraço deste irmão em Cristo:

P. Albano Nogueira

quarta-feira, 24 de junho de 2009

ANO SACERDOTAL 3

Bento XVI anuncia que Igreja vai realizar um Ano Sacerdotal
Por ocasião dos 150 anos da morte do Santo Cura d'Ars, João Maria Vianney, Bento XVI anunciou esta manhã que, de 19 de Junho de 2009 a 19 de Junho de 2010, se realizará um especial Ano Sacerdotal, que terá como tema: "Fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote".
Segundo comunicado divulgado pela Sala de Imprensa da Santa Sé, o Santo Padre abrirá este Ano presidindo a celebração das Vésperas, em 19 de Junho, solenidade do Santíssimo Coração de Jesus e Dia de santificação sacerdotal, na presença da relíquia de Cura d'Ars trazida pelo Bispo de Belley-Ars. Bento XVI encerrará o Ano em 19 de Junho de 2010, participando de um "Encontro Mundial Sacerdotal" na Praça S. Pedro.
Ainda de acordo com o comunicado, durante este Ano jubilar, Bento XVI proclamará São João Maria Vianney "Padroeiro de todos os sacerdotes do mundo". Além disso, será publicado o "Directório para os Confessores e os Directores Espirituais", junto a uma colectânea de textos do Santo Padre sobre temas essenciais da vida e da missão sacerdotal na época actual.
A Congregação para o Clero, em parceria com os Ordinários diocesanos e os Superiores dos Institutos religiosos, será o encarregado de promover e coordenar as várias iniciativas espirituais e pastorais. A finalidade deste Ano é ressaltar sempre a importância do papel e da missão do sacerdote na Igreja e na sociedade contemporânea, como também a necessidade de potencializar a formação permanente dos sacerdotes, relacionado-a com a formação dos seminaristas.Por esta razão iremos publicar no Jornal da Igreja Nova textos sobre este assunto até para ajudar as crianças, os adolescentes, os jovens e os pais a perceberem a beleza e a grandeza da vocação sacerdotal como seguimento e imitação de Jesus Cristo o Bom Pastor que nos conduz a todos para a felicidade do Reino de Deus.
P. Albano Nogueira

sexta-feira, 19 de junho de 2009

ANO SACERDOTAL 2


Começa hoje, 19 de Junho, dia do Sagrado Coração de Jesus, o Ano Sacerdotal decretado pelo Papa Bento XVI.
Vai ser um ano para toda a Igreja Católica reflectir sobre esta vocação tão importante a que alguns homens são chamados (para já o sacerdócio na Igreja Católica é só para homens).
Os sacerdotes vão reflectir sobre a sua missão tão importante e tão necessária.
Mais importante do que o “agir sacerdotal” (exterior) é o seu “ser sacerdotal” (interior).
Atrevo-me a dizer que, no meu ponto de vista, a vocação sacerdotal é a vida mais linda que um homem pode ter. Porque o sacerdote é chamado para fazer de “Cristo” na terra, ser outro Cristo:
Agir em vez de Cristo,
Pregar em vez de Cristo,
Reunir o Povo de Deus em vez de Cristo,
Presidir à Assembleia em vez de Cristo,
Baptizar em vez de Cristo,
Perdoar em vez de Cristo,
Abençoar em vez de Cristo,
Ungir em vez de Cristo,
Consagrar o pão e o vinho no Corpo e Sangue de Jesus em vez de Cristo
Repetir os gestos de Jesus Cristo.

O jovem é chamado à vida sacerdotal para emprestar todo o seu ser a Cristo:
- A sua inteligência, o seu pensar,
- A sua boca, o seu falar,
- O seu coração, o seu amar,
- As suas mãos, o seu agir,
- Os seus pés, o seu caminhar,
- A sua vontade, o seu querer.
Haverá vida mais bela, mais grandiosa, mais necessária do que esta?
Ser continuador da missão salvadora e libertadora de Jesus Cristo, o Bom Pastor…
Se é tão bonita, tão grandiosa, tão necessária a vida sacerdotal, porque é que há tão poucos sacerdotes? Porque é que os jovens não sentem chamamento para a vida sacerdotal e não lhe respondem dizendo Sim?...
Há muitas razões.
Penso que a razão mais forte é o EGOÍSMO em que as crianças e os jovens hoje são educados a viver muito centrados em si mesmos, enquanto que um sacerdote tem de estar disponível a ser para os outros. Um sacerdote deve morrer para si mesmo e a viver para os outros. Ora isso é precisamente o contrário do egoísmo.
O egoísmo dos pais (só ter um filho em vez de querer ter vários filhos) transmite-se ao filhos(s).
Escutai, amigos meus,
Ser padre é isto somente:
Não ser de si nem dos seus,
Para ser de toda a gente
(A. Correia de Oliveira)
Além do egoísmo que torna difícil a vocação sacerdotal, existem as CONDIÇÕES que na sociedade moderna não facilitam a fé pessoal, o encontro com Deus que exige silêncio, oração, meditação, contemplação e isso no mundo de hoje existe pouco.
Vivemos num mundo de muito ruído, de muito barulho, muita confusão, muita correria, muita dispersão, muitos divertimentos (bastantes ruidosos), muitas solicitações, muitas ocupações e muitas preocupações.
Todo o mundo quer falar (mesmo que não entenda quase nada dos assuntos) e poucos querem ouvir, escutar, meditar, orar, fazer silêncio...
Se os jovens se encontrassem a sério com Jesus Cristo no silêncio da oração e do coração, um encontro pessoal entre um Eu e um Tu, num diálogo amigo, num saber falar e saber escutar, talvez tivéssemos mais vocações consagradas.
O problema é que na Igreja Católica não se cultiva o silêncio, a meditação, a contemplação. As pessoas estão habituadas a cantar, a rezar em voz alta, tantas vezes respostas decoradas, repetidas muitas vezes, ditas por rotina, nas quais já nem se pensa.
Faltam MESTRES DA ORAÇÃO, QUE SAIBAM REZAR E ENSINEM A REZAR, fazendo da oração não um repetir mecânico de palavras, mas oração como um encontro profundo de mim como um EU com Jesus vivo dentro e fora de nós, como um TU.
Nós sacerdotes não sabemos rezar, por isso, também não podemos ensinar os outros... Ninguém dá o que não tem...

quarta-feira, 17 de junho de 2009

MANDAI-NOS MENSAGEIROS


Mandai-nos mensageiros, Senhor,
Para a terra inteira mandai-nos, ó Senhor
E o mundo cantará a Vossa glória.

1. Senhor, Vós os chamais a dar testemunho
Serem como a luz, que brilha sobre os montes.

2. Depois de conhecerem o vosso chamamento
Seguiram na alegria a vossa voz, Senhor.

3. Dai-lhes, Senhor, o gosto de sempre vos servir
De seguir vossos passos e chegar até Vós.

4. O mundo de hoje em dia procura só prazer
Que sinta em suas vidas a luz do vosso amor.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

PENSAMENTOS- I


- O povo será amigo do padre e da Igreja quando o padre se tornar amigo do povo
- Façamos tudo com boa vontade e alegria. Deus não gosta de servidores carrancudos.
- A nossa vida será árida se Deus não a regar com a Sua Graça.
- A adoração reparadora é a nossa audiência real de cada dia; é a nossa vocação.
- Sem o Trabalho as coisas úteis e agradáveis ou não existiriam ou não serviriam.
- O conhecimento da nossa debilidade conduz-nos à confiança em Deus.
- Falar com eloquência é muito bonito, mas agir com prática é muito melhor.
- Todos os acontecimentos da vida nos levam a Deus.
- Precisamos de acarinhar os jovens tanto pelo perigo que correm como pelo bem que nos trazem.
- A pesca milagrosa não se faz na sacristia mas no alto mar.
- A cada pecado a sua misericórdia.
- Façamo-nos santos e façamos santos.
- O luxo foi outrora o cancro dos ricos; hoje é a lepra dos pobres. Possuir e gozar tornaram-se os fins da vida.
- A união com Deus é o mais poderoso remédio para todos os defeitos.
- Numa alma a educação ou a cultura moral corrigem muitos defeitos.
- O carácter é a fisionomia da alma.
- Não há amor sem dor.
- Deus não sabe o que fazer com o nosso saber e com as nossas obras se nelas não estiver o nosso coração.
- Não basta fazer bem aquilo que fazemos, é preciso fazê-lo com amor.
- O amor de Deus torna grande o coração do homem.
- Fazei da vossa vida uma questão de amor e não uma questão de interesse.
- Só com amor se reparam as feridas do coração.
- O orgulho gera muitos defeitos.
- A Eucaristia e a cruz são os mananciais dos quais o Sagrado Coração se expande em ondas de amor, de graça, de misericórdia.
Pensamentos deonianos

sexta-feira, 5 de junho de 2009

SER SACERDOTE



http://operfumededeus.blogspot.com

Na nossa vida de sacerdotes, encontramos muita gente triste, desanimada, ferida, magoada com a vida, com os outros, consigo mesmos.
Essas pessoas não têm quem as oiça, acolha e aconselhe. Servem-se do cabeleireiro, do café e outros lugares para desabafarem…
Por isso, a missão de sacerdote é tão importante e são tão necessários os sacerdotes para a Igreja Católica. E são tão escassos.
O Papa Bento XVI decretou um ANO SACERDOTAL, para despertar a atenção para esta vocação como caminho de serviço, de felicidade, de realização pessoal, social e eclesial.
O sacerdote é Outro Cristo e isto bastaria para dizer a grandeza do sacerdócio ministerial.
Existe o sacerdócio comum dos fiéis de que todos os baptizados participam e existe o sacerdócio ministerial para os homens que recebam o sacramento da Ordem.
O sacerdócio é uma vocação pessoal. Vocação quer dizer chamamento. Deus chama no coração do homem para seguir este caminho de dedicação e serviço do Evangelho, da Igreja e dos Homens. Mas Deus chama também pela Palavra de Deus escutada, meditada, rezada e interiorizada pelos jovens; chama pela boca de outros: pais, sacerdotes, catequistas, amigos, familiares, etc.
Ao jovem cabe a resposta. Muitos são chamados, mas quase ninguém tem tempo, quase ninguém tem disposição de entregar o seu coração a Jesus para amar de um jeito diferente daquele que a maioria das pessoas ama.
Muita gente diz que os padres deviam casar. Poderá ser uma possibilidade no futuro se a hierarquia o decidir. O problema é muito mais profundo.
É uma falta de fé, de conhecimento, de aprofundamento da amizade e intimidade com Jesus Cristo na oração.
O jovem que se entrega a Jesus no sacerdócio ama muito, só que de um jeito diferente.
Todos sabem que há muitas espécies de amor. Nem todo o amor tem de ter envolvimento sexual. Como acontece entre amigos, como acontece entre pais e filhos; como acontece a quem se entrega a certas causas: desporto, política, voluntariado, etc. Essas pessoas amam de um jeito diferente e podem não ter envolvimento sexual.
O problema mais profundo é que as crianças e os jovens crescem cada vez mais vazios de Deus, de religião, de espiritualidade, de piedade, de devoção. Vivem a religião na superficialidade sem raízes. Alguns vão à catequese, mas o ambiente é muito superficial acerca de Deus e da fé. Outros vão à igreja, à Eucaristia, mas falta profundidade, experiência espiritual, intimidade com Jesus, silêncio do coração a coração.
Deus não é sentido pelos jovens, pelas pessoas que entram na Igreja e já não sentem a presença de Deus. Alguns nem sequer ajoelham, rezam, falam com Jesus.
Não sabem, porque ninguém lhe ensinou…
Faltam sacerdotes com tempo para a pastoral, o acompanhamento. Somos poucos sacerdotes, muitos já idosos, cansados. Temos muitas paróquias, andamos a correr de um lado para o outro ao Sábado e Domingo. Não estamos com as crianças, com os jovens, não fazemos experiência profunda da presença terna e carinhosa de Deus.
Não nos sentimos amados por Deus no íntimo de nós mesmos e não retribuímos amor a Deus como Ele merece.
Nós, sacerdotes, temos muitos pecados para pedir perdão a Deus porque damos pouco exemplo de felicidade por sermos sacerdotes.



Querido jovem rapaz (sacerdote é só para rapazes), pensa na vida. Não vivas na banalidade e na superficialidade. Pensa no rumo que podes dar à tua vida e pensa que ser sacerdote é uma vida de muita alegria, muita felicidade, muita realização não vivendo para si mesmo, mas para muitos outros, fazendo-os felizes.

P. Albano Nogueira

SÚPLICA AO ESPÍRITO SANTO


Vinde, Espírito Santo, terno Consolador. Minha alma suspira por Vós, meu coração tem sede de Vós. Só Vós podeis saciar os meus anseios, só Vós podeis fazer-me feliz. Divino Esposo, não rejeiteis a morada de meu pobre coração.
Sim,
V. Meu coração é impuro,
R. Mas podeis purificá-lo.
V. Meu coração é tenebroso,
R. Mas podeis iluminá-lo.
V. Meu coração é mau,
R. Mas podeis saciá-lo de amor.
V. Meu coração é triste,
R. Mas podeis consolá-lo.
V. Meu coração é fraco,
R. Mas podeis fortalecê-lo.
V. Meu coração é frio,
R. Mas podeis abrasá-lo.
V. Meu coração é terreno,
R. Mas podeis enchê-lo de desejos celestiais.
V. Meu coração é pecador,
R. Mas podeis orná-lo de todas as virtudes.
V. Meu coração é inconstante,
R. Mas podeis torná-lo perseverante.
Vinde, pois, ó Espírito Santo, Pai dos pobres, vinde, inundai-me de Vosso amor!
Amen.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

ANO SACERDOTAL 1





Bento XVI anuncia que Igreja vai realizar um Ano Sacerdotal.
Por ocasião dos 150 anos da morte do Santo Cura d'Ars, João Maria Vianney, Bento XVI anunciou esta manhã que, de 19 de junho de 2009 a 19 de junho de 2010, se realizará um especial Ano Sacerdotal, que terá como tema: "Fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote".
Segundo comunicado divulgado pela Sala de Imprensa da Santa Sé, o Santo Padre abrirá este Ano presidindo a celebração das Vésperas, em 19 de Junho, solenidade do Santíssimo Coração de Jesus e Dia de santificação sacerdotal, na presença da relíquia de Cura d'Ars trazida pelo Bispo de Belley-Ars. Bento XVI encerrará o Ano em 19 de Junho de 2010, participando de um "Encontro Mundial Sacerdotal" na Praça S. Pedro.
Ainda de acordo com o comunicado, durante este Ano jubilar, Bento XVI proclamará São João Maria Vianney "Padroeiro de todos os sacerdotes do mundo". Além disso, será publicado o "Directório para os Confessores e os Directores Espirituais", junto a uma coletânea de textos do Santo Padre sobre temas essenciais da vida e da missão sacerdotal na época actual.
A Congregação para o Clero, em parceria com os Ordinários diocesanos e os Superiores dos Institutos religiosos, será o encarregado de promover e coordenar as várias iniciativas espirituais e pastorais. A finalidade deste Ano é ressaltar sempre a importância do papel e da missão do sacerdote na Igreja e na sociedade contemporânea, como também a necessidade de potencializar a formação permanente dos sacerdotes, relacionado-a com a formação dos seminaristas.
Por esta razão iremos publicar no Jornal da Igreja Nova textos sobre este assunto até para ajudar as crianças, os adolescentes, os jovens e os pais a perceberem a beleza e a grandeza da vocação sacerdotal como seguimento e imitação de Jesus Cristo o Bom Pastor que nos conduz a todos para a felicidade do Reino de Deus.

P. Albano Nogueira

quarta-feira, 3 de junho de 2009

O SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

http://operfumededeus.blogspot.com

Liturgia

A liturgia é o culto público, quer dizer, os actos sagrados que por instituição de Cristo ou da Igreja, em seu nome, são realizados seguindo os livros litúrgicos oficiais.
Reflectem de modo autêntico o sentir e a fé da Igreja.
Quando o magistério propõe aos fiéis como devem render culto a Deus, tem uma particular assistência do Espírito Santo para não equivocar-se e oferecer um caminho certo e seguro de santificação, já que se trata da mais importante finalidade da Igreja.

Onde principalmente se ensina aos fiéis a doutrina e a vida cristã, é na Missa ou também chamada de Eucaristia.
Pois, bem, o culto público ao Sagrado Coração, foi canonizado em 1765 por Clemente XIII, ao introduzir sua festa litúrgica, com Missa e ofícios próprios.

Este ensinamento, mediante a liturgia, é dado pela Igreja com frases suas ou com frases tomadas da Escritura (quer em seu sentido próprio, quer em seu sentido ajustado). Nas recentes modificações introduzidas com novas leituras e o evangelho na nova missa do Sagrado Coração , o tema bíblico dominante é o do amor a Cristo que se apresenta como Bom Pastor.

A importância que a Igreja concede actualmente ao Sagrado Coração, esta sublinhada pela categoria de sua festa, solenidade de primeira classe, das quais há somente 14 ao ano no calendário universal.

Além disso, a festa de Cristo Rei, também solenidade de primeira classe, esta estreitamente unida à espiritualidade do Sagrado Coração. Pio XI declarou ao instituí-la que precisamente a Cristo é reconhecido como Rei, por famílias, cidades e nações, mediante a consagração a seu Coração. E determinou que em tal festa fosse renovado todos os anos a consagração do mundo ao Coração de Cristo.

Toda esta atitude litúrgica da Igreja tem a finalidade de estimular nossa prática cristã pondo especial interesse em celebrar sua festa: comungando, assimilando seus ensinamentos, utilizando as orações litúrgicas, a consagração, etc.

PROMESSAS

Principais promessas feitas pelo Sagrado Coração de Jesus a Santa Margarida de Alacoque:

1- Às almas consagradas a meu Coração, lhes darei as graças necessárias para seu estado.

2- Darei paz às famílias.
3- As consolarei em todas suas aflições.
4- Serei seu amparo e refúgio seguro durante a vida, e principalmente na hora da morte.
5- Derramarei bênçãos abundantes sobre seus projectos.
6- Os pecadores encontrarão em meu Coração a fonte e o oceano infinito de misericórdia.
7- As almas tíbias se tornarão fervorosas.
8- As almas fervorosas serão rapidamente elevadas a grande perfeição.
9- Abençoarei as casas em que a imagem de meu Sagrado Coração estiver exposta e for honrada.
10- Darei aos sacerdotes a graça de mover os corações empedernidos.
11- As pessoas que propagarem esta devoção, terão escrito seu nome em meu Coração e jamais será apagado dele.
12- A todos os que comungarem nove primeiras Sextas-feiras do mês contínuos, o amor omnipotente de meu Coração lhes concederá a graça da perseverança final.

Quando um católico descobrir e saborear o quanto é amado por Deus Pai, por Deus Filho (Jesus Cristo) e por Deus Espírito Santo, a sua vida espiritual e religiosa mudará muito para melhor e saberá aceitar muitas contrariedades da vida como as doenças, as desgraças, o sofrimento e até a morte, pois, se Deus me ama infinitamente, nada de mal me pode acontecer... Tudo o que me acontece, se eu souber ver, entender, aceitar, tudo pode concorrer para a minha salvação efelicidade neste mundo e depois da morte.


Catolicanet