Número total de visualizações de página

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

PERGUNTAS ACERCA DE DEUS- 12

albanosousanogueira@sapo.pt
http://operfumededeus.blogspot.com

12. Conheço pessoas que se dizem cristãs e que, ainda assim, são racistas. Como é possível?
Parece-te surpreendente que se possa ser ao mesmo tempo cristão e racista. E tens toda a razão.
Logo no Antigo Testamento, Adão e Eva são-nos apresentados como os primeiros pais de toda a humanidade.
Portanto, pertencemos à mesma família.
Claro que se trata de uma imagem, para transmitir o ideal de fraternidade de toda a humanidade.
No outro extremo da Bíblia, São João fala-nos de uma grande multidão «de todas as nações, tribos, povos e línguas» (Apocalipse 7, 9) reunida no Céu.
São Paulo lembra aos primeiros cristãos que já não pode haver diferenças entre eles - «Não há mais grego nem judeu», diz-lhes ele (Colossenses 3,11).
Eis a mensagem que a Igreja transmite incessantemente.
Como é então possível que ainda haja cristãos racistas?
Isso acontece porque os cristãos não são perfeitos e às vezes também falham em relação ao seu ideal.
Quem é que nunca falha?
No entanto, o que é mais grave é que algumas pessoas (cristãs ou não) se esforcem por provar que têm razão sendo racistas.
Ser racista é o contrário de ser cristão.
Temos todos um mesmo Pai, o Pai do Céu.
Como podemos estabelecer diferenças entre nós?

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

PERGUNTAS ACERCA DE DEUS- 11


11. O que é uma seita?

Já houve quem previsse o fim da religião.
Ora, o que acontece é que a vemos cada vez mais por todo o lado. Antigamente, explicou um sociólogo, a religião estava dentro de uma garrafa, que era a Igreja.
Hoje em dia, essa garrafa partiu-se e a religião espalhou-se por todo o lado.
Na verdade, assistimos à multiplicação de pequenos grupos, cada qual com as suas fórmulas religiosas e os seus gurus.

Esses grupos são perigosos?
Não necessariamente, mas às vezes são.
Por isso, temos de ser prudentes.
É frequente as pessoas entrarem numa seita de olhos fechados, confiando absolutamente naqueles que as convidaram a fazê-lo e, depois de estarem lá dentro, a seita faz tudo para que elas não voltem a abrir os olhos.
Há quem diga que essas seitas perigosas são como prisões sem grades; com efeito, é dentro de si mesmo que o adepto se sente condicionado a permanecer na seita e, infelizmente, também a deixar-se explorar.

Mas atenção: a própria palavra «seita» também é perigosa. Muitas vezes, aplicamo-la àquilo que não compreendemos, a quem pensa d maneira diferente da nossa ou a quem investe a sério na vida religiosa.
Por vezes, é preciso explicar aos jovens que os monges não fazem parte de uma seita!

Uma última coisa: há seitas, mas também há atitudes sectárias.
E delas ninguém está livre – nem as religiões, nem os crentes, nem os não-crentes.
A intolerância é um veneno para a sociedade e uma tentação para cada um de nós.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

PERGUNTAS ACERCA DE DEUS- 8

albanosousanogueira@sapo.pt
http://operfumededeus.blogspot.com
.

8. Porque é que há várias religiões?

Porque o Homem procura Deus e Deus procura o Homem.
Na verdade, encontramos vestígios muito antigos da religião entre os seres humanos, que depressa tomaram consciência de que a sua vida provinha de mais longe e de que a morte não podia ser o fim da existência.

As civilizações e as culturas são muito diferentes.

Cada pessoa procura Deus em função da sua cultura.
E Deus, como é o Criador de todos os Homens, quer manifestar-se a cada um deles segundo a sua cultura.

Portanto, todas as religiões têm algo de bom, porque cada uma delas é, à sua maneira, um caminho onde se pode encontrar Deus.
O mal das religiões está no fundamentalismo, isto é, o fanatismo, a intolerância e a interpretação à letra dos textos sagrados.

Os cristãos acreditam que Deus Se manifestou de forma única e excepcional em Jesus de Nazaré, um ser humano como nós, enraizado numa cultura e numa religião que O prepararam: as do Antigo Testamento.

A mensagem de Jesus Cristo tem algo que pode ser adaptado a todas as culturas, porque tudo se resume ao amor: Deus é Amor e convida-nos a amar-nos uns aos outros.

Jesus viveu até ao fim aquilo que proclamou.
Trata-se de uma bela mensagem e de um excelente mensageiro!
Para o cristão, Jesus Cristo é o Emanuel, o “Deus connosco”, o mais belo presente que Deus deu ao Homem.
E esta Boa Nova (Evangelho) merece ser anunciada a todos os povos, sem desprezar as outras culturas e as outras religiões.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

PERGUNTAS ACERCA DE DEUS



7. Há vários tipos de cristãos.
     Porque é que eles estão separados?
 
Há efectivamente ortodoxos, protestantes, anglicanos, católicos… São um pouco como os nomes próprios; «cristão» é o apelido, o nome da família, porque, na verdade, eles têm todos muito em comum.
Há já vinte séculos que os cristãos conservam cuidadosamente a Boa Nova de Jesus e a fé na sua ressurreição.
Mas, infelizmente, essa longa história ficou marcada por divisões, uma espécie de disputas familiares.
Em 1054, os cristãos do Oriente e os cristãos do Ocidente separaram-se, em ortodoxos e católicos.
As diferenças entre eles eram, sem dúvida, mais políticas e culturais do que religiosas.
Em 1517, o alemão Lutero afixou as suas discordâncias em relação a certas crenças e práticas da Igreja Católica.
Depois, Calvino, Zwingli e outros constituíram também novas igrejas.
Assim nasceu o ramo protestante, que, ao longo de séculos, se dividiu ainda mais num grande número de pequenas Igrejas.
Os anglicanos são os protestantes da Inglaterra, que, com o seu rei Henrique VIII, se separaram do Papa de Roma.
Quando surge uma disputa, é preciso, num momento ou noutro, parar de procurar saber quem tem razão e fazer tudo pela reconciliação.
Para conseguir isso, não há nada melhor do que encarar as diferenças como riquezas.
A beleza da liturgia dos ortodoxos, o amor dos protestantes pela Bíblia, a força dos sacramentos entre os católicos, a abertura dos anglicanos ao diálogo são tudo tesouros a não perder.
E, enquanto aguardamos que seja reencontrada a unidade, podemos trabalhar em conjunto pela paz no Mundo.
Foi por ela que Jesus veio até nós.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

ENTREVISTA LINDA


Sonhei que tinha marcado uma entrevista com DEUS.
- Entre – disse DEUS. Então, querias entrevistar-me?
- Se tiver um tempinho, disse eu.
 DEUS sorriu e disse:
- Meu tempo é eterno, suficiente para fazer todas as coisas;
    Que perguntas tens em mente?
- O que mais o surpreende na humanidade?
Perguntei…
DEUS respondeu:
- Que se aborreçam de ser crianças e queiram crescer rapidamente e aí, desejem ser crianças novamente.
- Que desperdicem a saúde para ganhar dinheiro e aí percam dinheiro para restaurar a saúde.
- Que pensem ansiosamente sobre o futuro, esqueçam o presente e, dessa forma não vivam nem o presente, nem o futuro.
- Que vivam como se nunca fossem morrer e que morram como se nunca tivessem vivido.
Em seguida, a mão de DEUS segurou a minha e por um instante ficamos em silêncio.
Então eu perguntei:
- PAI, quais são as lições de vida que deseja que seus filhos aprendam? 
Com um sorriso DEUS respondeu:
- Que aprendam que não podem fazer com que alguém os ame.
O certo é deixarem-se amar.

- Que aprendam que o mais valioso não é o que se tem na vida, mas QUEM se tem na vida.
- Que aprendam que não é bom compararem-se uns aos outros.
Por que todos serão julgados individualmente sobre seus próprios méritos.
- Que aprendam que uma pessoa rica não é a que tem mais, mas a que precisa menos.
- Que aprendam que são precisos alguns segundos para abrir profundas feridas nas pessoas amadas e que são necessários muitos anos para cura-las…
- Que aprendam a perdoar, praticando o perdão.
- Que aprendam que há pessoas que os amam muito mas que simplesmente não sabem como expressar ou demonstrar seus sentimentos.
- Que aprendam que o dinheiro pode comprar tudo, exceto felicidade.
- Que aprendam que duas pessoas podem olhar para a mesma coisa e vê-las de forma totalmente diferente.
- Que aprendam que um amigo verdadeiro é alguém que sabe tudo sobre ti e gosta de ti como és.
- Que aprendam que não é suficiente que sejam perdoados, mas que perdoem a si mesmos.
Durante algum tempo permaneci sentado, a desfrutar aquele momento.
Agradeci a Deus pelo seu tempo e por todas as coisas que tem feito por mim.
ELE respondeu:
Estarei aqui sempre que alguém precisar de ajuda.
Tudo o que precisam de fazer é chamar por mim.
Todos podem esquecer o que EU disse, podem esquecer o que EU fiz, mas jamais Eu esquecerei de cada um de vós.
… Então, em gratidão a DEUS ao tempo que Ele que ELE nos dedica, será que tu consegues arranjar um tempinho para mandar esta mensagem às pessoas que gostas?
… EU ARRANJEI!!!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

3. É preciso acreditar em Deus?


Deus e outras questões 
Acreditar em Deus não é uma obrigação, mas uma sorte. Imagina que perguntavas: “É preciso ter amigos?”.
Todos sabemos que, sem amigos, tudo é triste.
Eu acredito que, sem Deus, aconteceria o mesmo.
Tudo ficaria muito triste.
Talvez penses que acreditar em Deus é ter obrigação de ir à missa, rezar, ir à catequese…
Mas amizade reúne as pessoas, a amizade leva-nos a ter obrigações: dar os parabéns a um(a) amigo(a) que faz anos, cumprimentá-lo todos os dias, telefonar-lhe de tempos a tempos. A amizade não se força e a fé também não.
Se queres fazer amigos (as) presta atenção aos outros.
Se queres acreditar em Deus, presta atenção a Ele e a tudo o que as suas testemunhas dizem acerca d’Ele.
Descobrirás, assim, que Ele te ama e terás vontade de amá-l’O.
Lembro-me como se fosse hoje de um grande encontro de jovens que um rapaz, com as pernas paralisadas, por causa de um acidente, disse: “Se tivesse de escolher entre manter a minha fé e recuperar as minhas pernas, preferia manter a minha fé”.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

A FÉ


1.     Porque é que nem toda a gente acredita em Deus?
Se algumas pessoas não acreditam em Deus é porque:
1- Ainda não encontraram crentes felizes que tivessem vontade de dar testemunho da sua fé.

  2- Talvez tenham ficado chocados com as injustiças cometidas por aqueles que dizem acreditar em Deus.
3- Talvez não acreditem porque, quando se acredita em Deus, isso implica mudar de vida, amar de verdade, pensar nos outros, dedicar-se, abandonar os maus comportamentos.
Jesus veio mostrar que o ideal é viver sem fazer o mal, sem pecar, como diz o evangelho e fazer o bem.

  4- Ou então, não houve ninguém que conseguisse falar de Deus a essas pessoas com palavras que satisfizessem a sua inteligência, ainda continuam a fazer perguntas às quais ninguém soube responder (por exemplo, sobre o sofrimento, que é, para muita gente, uma objecção à existência de Deus).
.
Porque é nem toda a gente acredita em Deus?

 - Está em causa o mistério da liberdade de cada um.
Com efeito, Deus não obriga ninguém a acreditar n’Ele.
Deus não criou marionetas. Criou pessoas livres que podem dizer: "Sim creio" ou dizer: "Não, não creio".
Deus esconde-se, não se mostra diretamente, por isso é tão difícil para muitos acreditar n'Ele.

(Charles Delhez, sj, Deus existe? E outras perguntas)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

MÊS DOS FIÉIS DEFUNTOS


.
O CÉU ONDE DEUS NOS ESPERA PARA SEMPRE

Hoje, muita gente já não acredita em Deus e, por isso, também não acredita na vida depois da morte, nem no Céu, nem no Purgatório, nem no Inferno.

Porém, a Igreja Católica, desde o seu começo, conduzida e iluminada pelo Espírito Santo, enviado pelo pai e por Jesus ressuscitado, sempre orientou a sua acção para a vida eterna e para a parusia, a segunda vinda de Cristo.

O Céu é o fim do tempo para cada um de nós, quando Jesus nos convidar a, deixarmos este mundo, para entrarmos no Reino dos Céus, situação de comunhão de todos os santos da humanidade que nos precederam e partilham a glória de Jesus Cristo.

O Céu é a plenitude do amor de Deus.

Não é propriamente um lugar, um sítio, não fica aqui, ou acolá, pois a eternidade não tem a dimensão nem do tempo, nem do espaço.

O Céu é a situação em que Deus manifesta a Sua glória em plenitude, glória que é o futuro do Seu Amor absoluto, infinito por cada um de nós, criados por Ele e para Ele.

O Céu é o ponto de reencontro do Filho de Deus, Jesus Cristo, com o Pai que O enviou para nos salvar, consolação e alegria. O Céu é “onde” Jesus está, onde há caridade e amor, aí habita Deus, aí há o Céu já neste mundo.

O Céu é viver o Amor infinito do Pai pelo Filho, do Filho pelo Pai, Amor que é o Espírito Santo e que é o Amor de Deus por nós.

O Céu é um êxtase de amor de Deus em nós, “face a face”, sem véus, sem hesitações, sem negações, para todo o sempre na intimidade da glória de Deus, sendo “semelhantes” a Jesus Cristo, sendo real e definitivamente “filhos” no “Filho”, manifestação da glória de Deus.

Esta glória já se reflete um pouco na nossa face, na medida em que somos imagens de Deus, mas só no Céu será plena, total, definitiva.


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

ORAÇÃO A JESUS

Consulte o meu outro blogue: operfumededeus.
-------------------------------

1. Eu Te louvo, Jesus.
Tu és a Palavra divina do Pai para nós humanos.
Tu és o Filho de Deus vivo e o Filho de Maria de Nazaré.
Eu te louvo, Jesus, porque é o Filho do Homem, o Filho muito amado de Deus.
Jesus, Tu vens ao nosso encontro, como o Emanuel, o Deus connosco
Eu te louvo, Jesus, porque Tu és a luz do mundo, a água viva, a nossa luz.
Eu te louvo, Jesus, porque Tu és o nosso caminho, a nossa verdade e a nossa v ida.


2. Eu Te louvo, Jesus,
Porque Tu és o Bom Pastor, a Ressurreição e a vida;
És o Cordeiro de Deus, o Messias, o Salvador do mundo, o Deus connosco
Eu te louvo, Jesus, porque Tu és o nosso Mestre, manso e humilde de coração.
Tu és a nossa paz, o Senhor ressuscitado, o mediador entre Deus e os homens.
Eu te louvo, Jesus, porque Tu és o Princípio e o Fim, o Alpha e o ómega.
Senhor Jesus, Tu és a Ressurreição e vida.
Louvado sejas, Senhor

terça-feira, 1 de novembro de 2011

DIA DE TODOS OS SANTOS

-----------------------------------------------

O mais importante não é a tua caminhada neste mundo da vida para a morte.
O mais importante é a tua caminhada neste mundo da morte para a vida...
A tua maior desgraça não é a morte.
A tua maior desgraça é o mal vencer o bem.
A maior desgraça não é morrer no sentido biológico e ir para o cemitério.
A maior desgraça é a morte (espiritual) matar a vida (espiritual).
A morte das relações com Deus, com os outros, consigo mesmo. 
A maior desgraça é os vivos estarem mortos. Mortos porque cortaram com Deus, mortos porque cortaram com os outros e  mortos porque cortaram até consigo mesmos.
"Vida", na Bíblia, não é só vida biológica.
"Morte" na Bíblia, não é só a morte biológica.
"Vida" quer dizer vida abundante de paz, de amizade, harmonia, verdade, justiça, amor, perdão.
"Morte" na Bíblia quer dizer "pecado", morte dos relacionamentos; pecados onde reina a morte nos vivos.
Os que pecam são vivos que estão mortos...
Pecar é dar vida à morte.
Pecar é alimentar as atitudes de morte, engordar a morte...
Então, segundo a Bíblia, segundo o evangelho, o mais importante é vencer o mal, matar a "morte", matar as atitudes de morte: egoísmo, egocentrismo, ódio, mentira, inveja, violência, desordem, imoralidades, vícios e muitas outras realidades.
O importante é passar da morte para a vida.
Passar de uma vida sem um relacionamento com Deus para uma de amizade com Deus.
Passar de uma vida de isolamento, de solidão, de egoísmo e egocentrismo, para uma vida de relacionamento harmonioso e solidário com os outros.
O importante é não alimentar as atitudes de morte; mas, pelo contrário, matar a morte; vencer e matar o pecado para reinar a vida.
A VIDA deve vencer a morte. A VIDA deve matar a morte...
Quando peco, a morte vence a vida; a morte mata a vida...
Cristo matou a morte porque venceu todas as situações de morte pelo amor, pelo perdão, pela solidariedade.
Nunca respondeu às atitudes de morte, com atitudes de morte, como nós, quase sempre fazemos.
Ao ódio (morte), respondemos com ódio; à mentira respondemos com mentira; à violência, respondemos com violência; à vingança, respondemos com vingança...
Ou seja às atitudes de morte, respondemos com atitudes de morte.
Então: CONTINUAMOS MORTOS...
A MORTE CONTINUA A VENCER EM NÓS...
Só fazendo como Jesus podemos vencer a morte.
Não responder na mesma moeda. 
Vencer o mal com o bem, como fez Jesus.
É assim que matamos a morte, como o fez Jesus.
Os Santos já passaram da morte para a vida.
Venceram as atitudes de morte pela pobreza (desprendimento), mansidão, verdade, misericórdia, perdão, pureza, humildade, bondade.
Por isso são Bem-Aventurados.