Número total de visualizações de página

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

TEMPO PAGÃO E TEMPO CRISTÃO

 
AS DUAS FORMAS DE ENTENDER O TEMPO 
Há duas formas fundamentais de ver o tempo: a forma pagã e a forma cristã. Existe o tempo pagão e o tempo cristão.
O tempo é sempre igual, a forma como eu o vivo e gasto é que pode ser uma forma pagã e outra forma cristã.
Tempo vivido de forma pagã, é o tempo egoísta, onde a pessoa só pensa em si, vive centrado em si mesmo, egocentrista.
Tempo cristão é aquele que é vivido de forma altruísta a pensar nos outros, a fazer bem aos outros, a ajudar aos outros, a visitar os outros. A pessoas esquece-se de si para ajudar e servir os outros.
Tempo pagão é inimigo, come tudo: estraga as máquinas, os aparelhos, estraga a nossa vida: envelhecemos, doenças, fraquezas, morte. Faz desaparecer a saúde, a juventude, as capacidades, as forças. Leva à morte.
Tempo cristão é amigo; é o tempo usado para o nosso crescimento interior, aperfeiçoamento, identificação com Cristo.
O tempo pagão leva a pessoa a olhar para trás, para a o passado, leva à tristeza, à desilusão, à amargura: estou velho, já não posso gozar a vida, já não posso fazer certas coisas. Antigamente é que era, quando eu era novo(a)...
O tempo cristão leva a olhar para o futuro que nos espera, leva à esperança, à confiança a um futuro melhor, se não for neste mundo, será depois da morte. Leva à paz, à serenidade, à confiança, à alegria.
Tempo pagão- Cada dia é um passo em direção à morte, viver, é caminhar para a morte.
Tempo cristão- Cada dia é um passo na caminhada para Deus que é fonte de vida, o Deus da Vida.
O tempo pagão termina com a morte.
O tempo cristão continua com a morte porque a vida continua em Deus, apesar da morte.

A vida de muita gente é vazia, fútil, banal e sem sentido porque a pessoa vive o tempo de forma pagã, de forma egoísta só a pensar nos seus interesses mesquinhos e egoístas.

A vida ganha sentido quando olhamos para Cristo e fazemos da vida uma doação e um serviço a Deus e aos outros, quando gastamos o tempo servindo a Deus e servindo os outros.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

PORQUE É QUE A MISSA É TÃO CHATA?


http://operfumededeus.blogspot.com

 
 
Porque é que a missa é «chata»?
        Quando há crianças na missa, deve-se ter o cuidado de lhes dirigir pelo menos algumas palavras, ou gestos adaptados à sua idade, ou ainda deixar que uma parte da liturgia (por exemplo, a da Palavra) seja especialmente animada por elas.
Contudo, haverá sempre momentos que compreenderás menos bem, porque aquilo que é dito está mais adaptado aos adultos.
Em família, quando há um convidado, os teus pais também te pedem para ficares à mesa, mesmo que a conversa, às vezes, não te interesse. Assim, a pouco e pouco, vais descobrindo o teu lugar no meio dos adultos.
Se queres que a missa seja menos «chata», assume também algumas responsabilidades. Podes ajudar como acólito, participar no coro, fazer as leituras ou a oração dos fiéis...
Seja como for, só acharás que a missa é «fixe» se tiveres vontade de conhecer melhor Deus.
Se vais à missa como quem vai a um espectáculo ficarás muitas vezes desiludido(a).
Se fores à missa pensando nela como um encontro com Jesus Cristo que fala para nós, que vem a nós na sagrada comunhão, e encontro com a comunidade cristã, encontrarás sempre nela alguma coisa que te interesse.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

TELA PARA O ANO DA FÉ







TELA PARA O ANO DA FÉ, que pode ser aproveitado por outros sacerdotes



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

ANO DA FÉ

 
 
ANO DA FÉ
 
    O Papa Bento XVI decretou para toda a Igreja Católica, o ANO DA FÉ.
    É uma oportunidade para "soprar as brasas da fé", que em muitos católicos está quase a apagar-se.
 
    A FÉ OU SE APEGA, OU SE APAGA
   
Será um lema que vou adotar ao longo deste
     ANO DA FÉ.
 
 
“Afastamento é destruição” (Pe José Kentenich, fundador do movimento de Schoenstatt).
Sempre que se afasta de Deus, a pessoa entra num processo de auto destruição, que o tornou um fator mais destruidor do que a bomba atómica.
Sem Deus, o homem corre o sério risco de se destruir a si mesmo (física, moral e espiritualmente), destruir os outros e destruir a obra da natureza que Deus criou.
Por isso, é tão importante falar do valor da fé e da importância de a transmitir aos mais novos, pois a fé, ou se apega, ou se apaga.
A fé é como uma luz que não se pode guardar para si. A fé é uma luz que se term de transmitir aos outros, pois a fé dá um verdadeiro sentido à vida humana.
Sem a virtude teologal da Fé no verdadeiro Deus revelado por Jesus Cristo e continuado pela Igreja Católica, mais cedo ou mais tarde, a vida perde o seu valor e o que resta à pessoa é o absurdo, a depressão, a tristeza, o suicídio, o vazio.
Obrigado, Senhor, pela virtude da fé.
Eu creio, Senhor, mas aumenta a minha fé.
Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-vos.
Peço-vos perdão para os que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.
 

sábado, 15 de setembro de 2012

CRESCER NA FÉ

 
 
CRESCER NA FÉ
 
    Vivemos num mundo que há muito perdeu o direito de ser chamado “cristão”.
    Os valores que hoje imperam não são cristãos.
    O relacionamento estabelecido entre as pessoas não é fraterno.
    Na maioria das vezes é apenas interesseiro.
    Por vezes, ouve-se que, o que é preciso, é cada um cuidar da sua vida e procurar sobreviver.
    Os meios de Comunicação Social todos os dias dão notícias pouco animadoras, muitas notícias más: cenas de assaltos, roubos, insegurança, violência e degradação humana tornam-se lugar-comum.
    Guerras, violências, vinganças, assassinatos a sangue frio por interesses mesquinhos, já não nos incomodam muito.
    Já nos habituamos a ver e a ouvir tantas desgraças e misérias que acabamos por aceitar essas imagens no nosso dia-a-dia como algo inevitável, como algo que sempre vai acontecer e já não tem solução.
    Perante isto que fazemos nós? Nada. E com isso ficamos de consciência tranquila e cruzamos as mãos. Podemos até dizer: se ninguém faz, porque havemos nós de fazer?
    É neste quadro de realidade que o cristão vive desde a sua infância e é chamado a crescer na fé e a se desenvolver.
O cristão é chamado a dar uma resposta positiva neste mundo negativo de maldade e de pecado. A nossa resposta tem de ser dada no conhecimento da fé, na celebração da fé e no viver a fé com entusiasmo, com vontade de viver, com alegria, com esperança, com caridade, para que o nosso testemunho de amor ajude a curar este mundo tão doente.
    Temos de ser cristãos num mundo de valores pagãos. O nosso testemunho de vida é fundamental para ajudar a transformar o mundo à nossa volta. Mas antes de transformar o mundo, temos de deixar que Deus nos transforme a nós mesmos.
     Jesus Cristo conta contigo, comigo, connosco. Ele enfrentou o mundo com as suas dificuldades: teve de morrer, mas venceu com a força do amor de Deus pela ressurreição.
    Diz sim a Jesus Cristo. Diz sim à Igreja Católica e Ele estará sempre contigo e o seu amor vai ajudar-te a cumprir a tua missão no mundo.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

COMPORTAMENTO HUMANO

 
Comportamento instintivo
e comportamento racional
Os animais têm um comportamento instintivo.
O instinto é a tendência e a capacidade inata (nasce com a pessoa) de realizar um conjunto de actos dirigidos à satisfação de uma necessidade: comer, beber, dormir.
Subindo na escala animal, os instintos aumentam a sua plasticidade e alarga-se a margem da aprendizagem e de espontaneidade, as quais, no Homem, se tornaram predominantes.
Por analogia com os animais, continua a falar-se, no Homem, de instintos de conservação, gregário (viver em grupo), sexual, de reprodução, materno, paterno, de dominação, de criador.
No Homem, deveria falar-se mais de tendências ou necessidades, dado que, sem uma longa aprendizagem, essas capacidades inatas estão muito longe de poder guiar os homens, na sua vida individual e muito menos, na sua vida social.
Instinto sexual
   No caso da sexualidade, desde que um estímulo desencadeie uma reacção, esta vai repercutir-se ao nível do cérebro.
Os estímulos desencadeiam o desejo ou a procura de novos estímulos. O animal é guiado pelos instintos na satisfação das suas necessidades.
No Homem, tal não deveria acontecer. A pessoa deve controlar as suas necessidades pelo cérebro, pensando, mas também pelos ensinamentos morais que a religião ensina.
O Homem aproxima-se tanto mais dos animais quanto mais se deixa levas pelos instintos e menos pela razão, pelo cérebro.
Há situações em que o cérebro reduz a sua influência sobre o comportamento, por exemplo, se a pessoa tem sono, está possuída pelo álcool, pela droga. A própria excitação sexual reduz a influência do pensar, do cérebro.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

AUTO-DOMÍNIO

 
AUTODOMÍNIO
“Auto-domínio” é uma junção de duas palavras e significa “o domínio de si mesmo”.
A pessoa humana tem um lado biológico, instintivo, parecido com os animais. Tem as suas necessidades biológicas: comer, beber, dormir, defecar, sexuais, reproduzir.
Umas são necessidades imprescindíveis, que a pessoa tem de realizar senão morre. Outras necessidades podem não ser satisfeitas.
Vivemos num tempo em que a pessoa tem muita dificuldade de se dominar a si mesmo. Tentamos, por muitos meios, dominar os outros.
E somos tão fracos a dominar-nos a nós mesmos!
E a verdadeira fortaleza não é dominar os outros, mas dominar-se a si mesmo. O forte é o que se domina a si mesmo, não é aquele que domina os outros.
Além deste lado biológico, instintivo, a pessoa humana é inteligente, pensa, tem um querer, uma vontade, tem ainda uma dimensão espiritual e estas realidades superiores têm de entrar em campo para a pessoa se tornar adulta, madura, livre, responsável.
Dominar os seus instintos, as suas tendências más, o seu egoísmo, os seus vícios, os seus defeitos.
A cultura da nossa sociedade tem explorado os nossos instintos mais baixos para os satisfazer. Muitas vezes, caímos na tentação, de pôr de parte o que nos humaniza (liberdade, responsabilidade, inteligência, vontade, espiritualidade) e seguir apenas os nossos instintos e abusamos da comida, da bebida, da droga, do sexo…
Ou seja: seguimos as tendências mais baixas que nos aproximam dos animais, nos bestializam e nos degradam, em vez de seguirmos as tendências mais altas da pessoa que a humaniza e a torna imagem e semelhança de Deus, para a tornar imagem e semelhança do animal…
DOMINAR-SE…

domingo, 2 de setembro de 2012

A ROCHA

 
Um homem dormia em sua cabana quando de repente uma luz iluminou a sala e Deus apareceu.
O Senhor disse que tinha um emprego para ele e mostrou-lhe uma grande rocha em frente à cabana. Ele explicou que devia empurrar a pedra com toda a sua força.
O homem fez o que o Senhor pediu. Por muitos anos, dia após dia desde o nascer ao pôr-do-sol.
O homem empurrou a pedra fria, com toda a sua força… e ela não se movia.
Todas as noites, o homem voltava para a sua cabana cansado, sentia que todos os seus esforços eram em vão.
Quando o homem se começou a sentir frustrado, Satanás decidiu entrar no jogo, trazendo pensamentos à mente: “Tu tens empurrado essa rocha por um longo tempo e ela nada se moveu.”
Ele deu ao homem a impressão de que a tarefa que lhe foi confiada era impossível realizar e que ele era um fracassado.
Estes pensamentos aumentaram o seu sentimento de frustração e decepção. Satanás disse: “Porquê lutar todos os dias por essa tarefa impossível? Basta fazer um mínimo de esforço e isso será suficiente.”
O homem pensou naquilo dito, na possibilidade daquela proposta mas decidiu elevar uma oração diante do Senhor e confessar os seus sentimentos: “Senhor, eu tenho trabalhado duro há muito tempo ao seu serviço. Usei todas as minhas forças para conseguir o que me pediu, mas ainda assim, não consegui mover uma polegada da rocha PORQUÊ? Porque falhei?”
O Senhor respondeu com compaixão e ternura: “Caro filho, quando eu lhe pedi para me servir e aceitaste, eu lhe disse que sua tarefa seria empurrar a rocha com todas as suas forças, e foi o que fizeste.
Eu nunca lhe disse que devia movimentá-la.
A tua tarefa era de empurrar. Agora vens-me sem força dizer-me que falhaste? Não falhaste. Agora olha para ti, teus braços são fortes e musculados, sua parte inferior forte e bronzeada, tuas mãos calejadas pela pressão constante, as tuas pernas tornaram-se firmes.
Apesar das adversidades desenvolveste muito as tuas habilidades, são maiores do que antes. É verdade, não moveste a rocha, mas a tua missão era fazer pressão e confiar em mim. Foi o que fizeste. Agora, caro filho, eu moverei a rocha.”
--------------
 Às vezes, quando ouvimos a palavra do Senhor, nós tentamos usar o nosso intelecto para decifrar a sua vontade, quando na verdade Deus nos pede somente para confiar Nele.
Devemos exercer a nossa fé que move montanhas, mas conscientes de que é Deus quem eventualmente consegue movê-las.
      Quando tudo parece dar errado… SOMENTE EMPURRE!
Quando estás com excesso de trabalho… SOMENTE EMPURRE!
Quando as pessoas se comportam da forma que achas que deveriam… SOMENTE EMPURRE!
Quando não tens mais dinheiro para pagar as tuas contas… SOMENTE EMPURRE!
Quando as pessoas simplesmente não te entendem… SOMENTE EMPURRE!
Quando te sentes exausto e indefeso… SOMENTE EMPURRE!
Durante tempos difíceis, peça ajuda ao Senhor, levante uma oração a JESUS para iluminar sua mente e guiar seus passos. Desista dos seus medos e peça ao Senhor através da oração Jesus vai ajudar-te a encontrar o caminho que leva a ELE.
Que Deus te abençoe!