Número total de visualizações de página

sexta-feira, 6 de abril de 2012

MORTE E RESSURREIÇÃO

Os cristãos acreditam no Cristo vivo que vem revelar ao ser humano a sua verdadeira identidade.
Quem sou eu?
Um ser para a ressurreição e a vida.
Ressurreição quando?
E os que viveram antes de Cristo? Ressuscitaram antes de Cristo ou depois de Cristo?
Será a ressurreição no momento da morte?
O que é a morte?
É uma fase da vida.
É um momento da vida.
Não é o fim da vida.
Como nós passamos de corpo em corpo (fases da vida), também passamos do corpo pela morte.
Nascer, é morrer para uma forma de vida (intra-uterina).
Ser criança é morrer para o bebé.
Ser jovem é morrer para a criança.
Ser adulto é morrer para a juventude.
Ser idoso, é morrer para a idade adulta, etc.
A morte é uma passagem: eu abro a porta da morte.
Mas já não sou eu que a fecho.
Eu abro a última porta da vida (voluntaria ou involuntariamente) e a partir daí sou totalmente passivo, nada mais posso fazer.
Por isso, já não sou eu que fecho a porta da morte.
É Deus.
A morte é o momento da vida em que Deus mais está presente.
Morte é a passividade total minha e o momento mais activo de Deus.
Nem a morte nos separa de Deus, pelo contrário, a morte aproxima-nos definitivamente de Deus.
Deus atravessa connosco a morte.
Na morte, Deus está aí mais activo e presente que nunca, uma vez que se dá a minha passividade total.
Deus ressuscitou o Seu Filho para que os mortos ressuscitem.
Morte não é o fim da vida, mas uma passagem (uma Páscoa) para outra dimensão da mesma vida.
A morte é passagem porque é morte verdadeiramente.
Morte real, verdadeira.
A morte é a condição necessária para que a vida continue.
Jesus Cristo morreu verdadeiramente na cruz. Morreu todo o seu ser:
“Pai, em Tuas mãos, entrego o meu Espírito”.
Morro entregando, passando pela morte, entregando a Deus a Sua identidade pessoal. Não se diz que Jesus morreu, mas expirou.
  Morreu para rescuscitar no dia de Páscoa.
Uma santa e feliz Páscoa a todos os meus leitores e que Jesus viva sempre nas nossas vidas e nos nossos corações.
Vivamos com esperança.

Sem comentários: