Número total de visualizações de página

terça-feira, 9 de agosto de 2011

SÓ DEUS BASTA...5

.
As pessoas como ídolos

- Se as coisas podem ser ídolos para nós também as pessoas o podem ser: marido para a esposa, filhos para os pais, a família, os amigos.
Amar o marido, a esposa, os filhos, os amigos, não é adorá-lo, prestando-lhe uma homenagem quase divina.
O amor não é isso.
Amar outra pessoa é ver Cristo nele ou nela: no seu rosto ver o rosto do Redentor, aceitando toda a verdade sobre a su ahumanidade.

Amar um filho não é fazer dele um ídolo, sujeitando-se a todas as vontade do filho; mas também não é impôr todas as vontades dos pais aos filhos...

Os pais que amam verdadeiramente os filhos devem ajudá-los a que eles acreditem que Deus os ama sempre e sem condições independentemente dos seus êxitos e fracassos para que ponham em Deus a sua confiança e n'Ele se apoiem.

Muitos pais querem que os filhos correspondam às suas expectativas (sejam aquilo que os pais querem que eles sejam) e criam, por vezes, filhos revoltados porque fizeram do seu filho um ídolo a quem veneram ou adoram.

O melhor que os pais podem fazer pelos filhos é ensiná-los a amar a Deus que nos ama com amor de Pai e de Mãe, um amor incondicional e conduzir os filhos no amor à vontade do Criador de tal modo que desperte neles o desejo que teve Jesus quando dizia: "o meu alimento é fazer a vontade do Pai que me enviou".

A educação cristã deveria ser levar os filhos a cumprir a vontade de Deus.

Se os pais soubessem educar nesse sentido, então os seus filhos seriam instrumentos de Deus na terra, instrumentos do bem, da paz, do amor, da justiça, da verdade.

Sem comentários: