Número total de visualizações de página

sábado, 7 de fevereiro de 2009

VALE A PENA CONFIAR EM DEUS?














Consulte o meu outro blog http://operfumededeus.blogspot.com/.
albanosousanogueira@sapo.pt.

Cristiane disse:

É verdade Elisa. É muito difícil. Eu, no meu problema, estou me sentindo envergonhada por confiar em Deus e estar sofrendo tanto agora. Pensei que quem confiasse não passaria por estes tipos de sofrimentos. Parece tão fácil entregar tudo a Deus e deixar que Ele cuide. Mas não foi verdade, senão estaria tudo perfeito. Não sei o que pensar de tudo isso, é tão contraditório...”.

Cristiane, eu compreendo a tua posição. Quem sofre pode ficar um pouco desiludido(a) por rezar, confiar em Deus, pedir ajuda e solução para o seu problema e não ver solução, não ver melhorias.
Vou falar em geral porque não sei qual o problema da Cristiane, nem o da Elisa, pois só falaram em abstracto.

1- Uma regra de vida para todos: “faz as coisas como se tudo dependesse de ti e, depois, confia como se tudo dependesse de Deus”.

Não esperes que a solução caia do Céu. Procura tu a solução dos problemas. Não sejas passivo(a). Não te limites a rezar... Sê activo(a).

2- Por vezes, o mal acontece-nos porque nós (ou os outros) temos a culpa, a responsabilidade quando tomamos opções pouco correctas.
E, neste caso, a culpa não é de Deus, mas nossa. Por isso, também temos de ser responsáveis por encontrar a solução para os problemas que nós ou os outros criaram. Não esperar que seja Deus e resolver os nossos problemas. O que nós pudermos fazer, Deus não o fará.

3- Os fracassos da vida e até as doenças são, muitas vezes, da nossa responsabilidade. Não devemos culpar Deus de absolutamente nada. Deus é puro AMOR, não tem culpa de nada.

4- Nem tudo o que nos parece mal num determinado momento é, de facto, um mal no conjunto da nossa vida. E nem tudo o que nos parece ser um bem num determinado momento, é um bem no conjunto da nossa vida… Por isso, não devemos ficar tão desanimados com o mal que nos acontece. Tudo passa. Há certos males que purificam a pessoa, amadurecem-na, levam-na a ter mais energia, a lutar mais, a ser mais activa e a encontrar uma energia interior que a leva a um crescimento que não aconteceria se tudo corresse bem…

Até do mal podemos tirar o bem, aprender, crescer, amadurecer…

5- Por vezes, temos de PURIFICAR A NOSSA IDEIA DE DEUS. O problema não está em Deus, mas na ideia que temos de Deus. Quantas vezes a ideia que temos de Deus é errada, é a ideia de um ídolo e não do Deus verdadeiro revelado por Jesus Cristo. Então temos de purificar a nossa ideia de Deus, lendo, conhecendo, sabendo mais, rezando...

Deus não existe para resolver TODOS os nossos problemas. Deu-nos sabedoria, inteligência, força, poder para nós os resolvermos. Somos e responsáveis...

A fé em Deus não resolve os nossos problemas. Eu direi até que quem quiser levar a sério a sua fé no Deus de Jesus Cristo, tem muitos mais problemas, do que quem não tem essa fé...

A fé em Deus não resolve problemas, a fé em Deus traz ainda mais problemas... Os problemas de quem quer seguir o Deus do Evangelho e de Jesus Cristo, aumentam… Porque Deus é exigente, é radical, não se contenta com meias palavras, meio termos, meias medidas. Aponta a perfeição, a plenitude, a santidade e nós sabemos que para alcançarmos a plenitude, a perfeição e a santidade humana temos de lutar muito, cortar com muita coisa, vencer muitos vícios e defeitos em nós. Significa fazer da vida uma luta contínua contra os meus defeitos, vícios e pecados e isso não resolve os nosso problemas, pelo contrário, se quisermos seguir a Deus 100% aumentam mais os nossos problemas...
Veja-se os atletas de 1º lugar o que eles têm de sofrer…

6- Deus também não impediu que seu filho morresse na cruz injustamente. Não resolveu os seus problemas... Jesus curou algumas pessoas, sarou, fez milagres, mas não veio ao mundo para resolver os nossos problemas. Os milagres de Jesus eram "sinais" do poder de Deus, sinais do amor de Deus e do Seu Reino, convites para acreditar, convites à fé. Jesus não fez milagres para nos desresponsabilizar, nos tornar passivos e esperar que Deus resolva todos os nossos problemas. Esse não é o Deus da Bíblia. Essa é a ideia de um ídolo, um deus criado por nós.

7- Jesus não veio resolver todos os males da humanidade. Ele próprio foi um inocente morto na cruz, vítima do mal, do ódio, da inveja, da vingança.

QUE FEZ JESUS?

Jesus fez-se solidário connosco: nasceu como nós, chorou, cansou-se, teve fome, frio, sede, sofreu muito mais que nós (na paixão e morte) para dizer que o sofrimento pode ter sentido, pode ter o seu valor, o seu significado. Veio combater o mal e o sofrimento curando, sarando, perdoando, ajudando, aliviando. Veio ser solidário connosco.

8- Penso que a nossa atitude deve ser igual à de Jesus: lutar contra o mal, fazer o bem, fazer as melhores escolhas não apenas para nós, mas para todos, escolher o bem comum e se algo correu mal, recomeçar, não cruzar os braços, resistir, não desanimar, não desesperar, ser solidário e ajudar os que sofrem com a nossa presença e a nossa amizade.
E continuar a confiar em Deus rezando como Jesus: “Pai, se for possível, afasta de mim este cálice, mas não se faça como eu quero, mas como Tu queres…”.

9- Aquilo que eu puder mudar para melhorar a minha vida, eu devo fazer tudo para mudar. O que eu não puder mudar (se é uma doença incurável, por exemplo), devo aceitar, recorrer à ajuda da medicina e entregar-me nas mãos de Deus como Sua criatura.

DEUS AMA-ME COMO O MELHOR DOS PAIS E A MELHOR DAS MÃES.
Deus ama-me e quer o melhor para mi. Isso nunca eu deveria duvidar, ainda que eu sofra e tenha problemas ao longo da vida.
Deus não existe para resolver os nossos problemas, embora nos possa ajudar e ajuda dando-nos sabedoria, inteligência, poder, força, meios para melhorar a nossa vida confiando em nós e nos outros e também confiando em Deus.
Deus está sempre presente na nossa vida, vê-nos, conhece-nos, ama-nos, mas não interfere tanto na nossa vida como nós gostaríamos e temos de aceitar a vontade de Deus. Não é Deus que tem de aceitar a nossa vontade... É ao contrário: eu é que tenho de aceitar o querer de Deus.
Que Deus te abençoe, meu irmão de Fevereiro

P. Albano Nogueira



5 comentários:

Lemos (filho) disse...

Vale a pena!

Eu sinto isso, porque desde pequenino sofri muito e com ajuda dos meus pais de deus estou aqui.

deixo uma pergunta para o sr.padre albano.

a minha questão é esta: será que a fé em que acreditamos é como o amor não há nada que o force!

cumprimentos,

lemos (filho)

mccc disse...

Eu confio em Deus, a Ele recorro nas horas difíceis, peço-Lhe pelos que mais necessitam. Tenho sentido a Sua presença na minha vida, aliás, faz parte da minha vida, caminha comigo, sinto-O.

casualidade disse...

Confiei sempre e confio, no amor do Pai Jesus cristo, e passei maus bocados na minha vda, esta meu blog , á disposição para lerem, em 64 perco, meu avô, em 69 perco meu pai, em 76 perco minha avó fui, eu kem a preparei, e a meti no caixão, em 78 perco a : Mãe, a irma , o cunhado o sobrinho, com 6 anos , eu fui a única sobrevivente, de tal fatídico, acidente e fikei só num mundo controbado, não deixei de ter a companhia de Deus , pois ele me deu uma medida de fé, e eu cá estou com essa fé no meu coração mas kerids amigos o Espirito de Deus esteja sempre ao vosso lado

Anónimo disse...

Olá pessoal!
Sofrer na vida nem sempre é falta de crer ter fé ou castigo de Deus, vejam pelo que Jó passou, perdeu tudo, filhos, mulher, seus rebanhos, e ainda teve chagas, e em nenhum segundo deixou de ser fiél á Deus envergonhando assim o diabo que outrora havia dito que ele blasfemaria contra Deus.
Excelente lição de vida, fé e confiança que Jó nos deixou.

Raquel. disse...

Desculpa mas nao vejo dessa maneira
Deus nos aceita do jeito que somos.
Os problemas ocorrem em nossa vida por naturalidade, e devemos sim ter fé em Deus, ele resolve de fato nossos problemas.Acredito nisso fortemente,entendo perfeitamente que devemos estudá-lo e conhecer sua vida.Mas existem perguntas que não parecem ter respostas, mas mesmo assim devemos continuar acreditando no que nos satisfaz.
RAQUEL.