Número total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

MISTÉRIO DE DEUS – 13

-
O que vem a Mim jamais terá fome,
o que acredita em Mim jamais terá sede
”. Jesus Cristo
.
Pelas coisas visíveis às coisas invisíveis
.
Deus é invisível.
Para o ser meramente carnal, como os animais, Deus não existe.
Se o homem moderno se tornar materialista, apenas conhece e reconhece aquilo que ele vê.
Alguém já disse: “a alma, o espírito não existe. Já operei muita gente e nunca via a alma de ninguém”.
Um astronauta disse: “Estive no espaço, na lua, não vi Deus por lá…”.
Triste ilusão e engano de quem só acredita no que vê e não percebe os limites e ilusão da nossa vista.
Nós vemos o sol a andar e ele está parado.
Deus é Invisível.
Deus é de outra ordem diferente das coisas naturais e materiais.
Deus é Transcendente, Ele é gratuito.
Não é uma super energia, ou radiação tipo raio X ou energias do átomo. Deus é de ordem espiritual e escapa às materializações e quantificações físicas e matemáticas.
Nós encontramo-l’O de maneira pessoal e espiritual, análogo aos encontros da amizade e do amor que são gratuitos e qualitativos.
Deus é a concentração do ser e as coisas materiais são uma participação desse Ser.
Deus é uma energia, uma força espiritual e a nossa energia física é uma pálida imagem d’Ele.
Deus é uma energia espiritual que nós podemos captar através de uma relação pessoal e da graça.
O Amor verdadeiro faz sair o homem de si mesmo pela comunicação, pelo dom e pela partilha.
Isso implica renunciar ao conforto da vida solitária.
Ele encontra-se perdendo-se.
Quem perder a sua vida, encontrá-la-á.
A procura de Deus não consiste em cada um contemplar-se a si mesmo; mas em contemplar a Deus, louvando o Criador pela beleza da Sua criação.
A procura de Deus convida a sair de si para ir ao Seu encontro, servindo-O, servindo os outros.
Neste serviço renunciamos a nós mesmos, ao nosso egoísmo e aí Deus revela-se na caridade (amor desinteressado a Deus e aos outros).
O despertar humano para a Transcendência faz-se pelo amor humano.
A descoberta do amor humano abre os homens para a descoberta de Deus.
Quantos pais encontram Deus amando e educando os seus filhos.
Na verdade o gerar dos filhos é uma outra abertura.
É o maior dom que Deus concedeu aos homens, um dom que eleva os homens acima dos anjos, pois os anjos não podem gerar um filho.
Pode ser pai o mãe à imagem de Deus, pois Deus tanto pode ser chamado de Pai como de Mãe.
Deus transcende a sexualidade.
Pela experiência fundamental da família, homem e mulher estão mais próximos de Deus do que nenhuma outra criatura.
Tal como poder de Deus é auto-comunicação e dom de si mesmo, assim os pais.
A mística cristã leva a uma oração que inspira e leva ao serviço dos mais pequenos: crianças, pobres, moribundos, abandonados.
Assim, o Filho de Deus, descendo ao nível dos homens quis nascer de uma Mãe, viver em família, numa aldeia, depois com discípulos, frente ao fervor, à indiferença e aos inimigos; com efeito, Ele permanecia frágil e desarmado em toda a verdade humana.
É esse mistério que celebramos em cada Natal.

Pe. Albano Nogueira



1 comentário:

Anónimo disse...

Senhor padre está na altura de mudar a foto, pois essa foto ´r muito primaveril.