Número total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

MÊS DOS FIÉIS DEFUNTOS


.
O CÉU ONDE DEUS NOS ESPERA PARA SEMPRE

Hoje, muita gente já não acredita em Deus e, por isso, também não acredita na vida depois da morte, nem no Céu, nem no Purgatório, nem no Inferno.

Porém, a Igreja Católica, desde o seu começo, conduzida e iluminada pelo Espírito Santo, enviado pelo pai e por Jesus ressuscitado, sempre orientou a sua acção para a vida eterna e para a parusia, a segunda vinda de Cristo.

O Céu é o fim do tempo para cada um de nós, quando Jesus nos convidar a, deixarmos este mundo, para entrarmos no Reino dos Céus, situação de comunhão de todos os santos da humanidade que nos precederam e partilham a glória de Jesus Cristo.

O Céu é a plenitude do amor de Deus.

Não é propriamente um lugar, um sítio, não fica aqui, ou acolá, pois a eternidade não tem a dimensão nem do tempo, nem do espaço.

O Céu é a situação em que Deus manifesta a Sua glória em plenitude, glória que é o futuro do Seu Amor absoluto, infinito por cada um de nós, criados por Ele e para Ele.

O Céu é o ponto de reencontro do Filho de Deus, Jesus Cristo, com o Pai que O enviou para nos salvar, consolação e alegria. O Céu é “onde” Jesus está, onde há caridade e amor, aí habita Deus, aí há o Céu já neste mundo.

O Céu é viver o Amor infinito do Pai pelo Filho, do Filho pelo Pai, Amor que é o Espírito Santo e que é o Amor de Deus por nós.

O Céu é um êxtase de amor de Deus em nós, “face a face”, sem véus, sem hesitações, sem negações, para todo o sempre na intimidade da glória de Deus, sendo “semelhantes” a Jesus Cristo, sendo real e definitivamente “filhos” no “Filho”, manifestação da glória de Deus.

Esta glória já se reflete um pouco na nossa face, na medida em que somos imagens de Deus, mas só no Céu será plena, total, definitiva.


Sem comentários: