Número total de visualizações de página

sábado, 19 de fevereiro de 2011

OS OUTROS QUE MUDEM




.
Um dia perguntaram a um sábio da Grécia Antiga chamado Sócrates (470 a.C.-399 a.C.) qual era a coisa mais fácil de fazer e ele respondeu:
"A coisa mais fácil de fazer é dizer mal dos outros".
Depois perguntaram-lhe:
"Mestre, diga-nos também qual é a coisa mais difícil de fazer".
A esta pergunta o filósofo respondeu:
"A coisa mais difícil de fazer é conhecer-se a si mesmo”.
Por isso ficou famosa a frase em que Sócrates dizia:
“Homem, conhece-te a ti mesmo”.
E ainda esta frase: "Só sei que nada sei".
Há frases cheias de sabedoria para homens e mulheres de todos os tempos e sempre actuais. E estas são algumas delas.
Toda a gente fala de crise, que as coisas estão mal, há manifestações, convulsões sociais, revoltas, descontentamentos e todos dizem mal dos outros. A culpa é sempre dos outros, eles é que estão errados, eles é que têm de mudar.
Isto passa-se na sociedade, nas empresas, nas escolas, nos clubes, nas famílias, nas Igrejas, etc.
Poucos são aqueles que fazem o que diz a segunda frase do “Homem, conhece-te a ti mesmo” e descobre que tu também tens culpas, tu também tens de mudar, a culpa não é só dos outros.
Quando eu mudar e for bom, o mundo à minha volta será melhor e se eu espalhar bondade, amizade, mansidão, doçura à minha volta, eu vou colher isso dos outros. E o mundo vai ficar melhor.
O problema é esta falta de coragem para cada um se examinar a si mesmo e perceber que a culpa não é só dos outros, mas que a culpa também é sua…
A sociedade, as empresas, as escolas, as famílias, as Igrejas estão em crise e desorientadas por culpa de todos e não apenas por culpa dos seus chefes.
Nunva ouvi uma pessoa dizer em particular ou na TV o seguinte:
“A culpa é minha porque gastei mais do que tinha e comprei o que não precisava e me endividei…
Em vez de poupar, gastei, esbanjei…
"A culpa é minha porque quando trabalhava não produzi tudo o que podia, mas ganhava sempre o mesmo, mesmo que produzisse pouco…".
"A culpa é minha porque não aceitei certos trabalhos e prefiro estar no desemprego…".
"A culpa é minha porque escolhi um curso que não tinha saída…".
"A culpa é minha porque quando fui estudar para a faculdade já sabia que pessoas com o meu curso não tinham emprego, mas mesmo assim quis tirar esse curso…".
"A culpa é minha porque votei neste partido…".
"A culpa é minha porque me acomodei e instalei em vez de me esforçar por progredir e procurar outras saídas…” .
Etc, Etc, Etc...
Enfim, faço esta reflexão porque vejo as pessoas muito preocupadas por reivindicarem os seus “direitos” e nada preocupada em cumprir os seus “deveres”.
Penso que A GRANDEZA DE UMA PESSOA não está tanto em REIVINDICAR OS SEUS DIREITOS, mas em CUMPRIR OS SEUS DEVERES…
A crise não vai passar enquanto for esta a mentalidade das pessoas:
REIVINDICAM OS SEUS DIREITOS, mas NÃO CUMPREM OS SEUS DEVERES…

É isto que eu penso. Desejo-te um bom dia.
Pe. Albano Nogueira

Sem comentários: