Número total de visualizações de página

quinta-feira, 10 de maio de 2012

A EXPERIÊNCIA DE DEUS


2. A RELIGIÃO DA VIDA E A VIDA DA RELIGIÃO
Possuir um sentimento religioso é um dom, uma qualidade do coração que merece ser cultivada com esmero.
O Homem vê, escuta, pensa (inteligência), quer (vontade), ama (afeto, coração).
A atividade religiosa é de uma dimensão diferente.
Por ela, rezamos, prestamos culto a Deus.
Mas nem todo o nosso ser está sintonizado com Deus.
Posso rezar, mas ter zonas sombrias na minha vida, caminhos tortos.
Posso rezar a Deus com a minha boca, as minhas mãos, os meus olhos, mas o meu coração adorar outros deuses: egoísmo, rancor, ódio, injustiça, hedonismo (prazer).
Pode-se estar ligado a Deus por um fio, mas estar separado d’Ele e viver longe dele por uma rede…
A santidade é ESTAR TODO diante de Deus, viver na Sua presença com todo o nosso ser e todo o nosso EU.
Uma pessoa pode conhecer a Deus, ser muito religiosa e ser pouco santa, vivendo longe de Deus e outra ignorando a Deus, pode viver santamente, fazendo bem todas as coisas…
Há pessoas que rezam, são religiosas, mas levam uma vida longe de Deus por causa da insensibilidade, da dureza de coração, da injustiça.
A religiosidade nem sempre vem acompanhada de santidade. Não deveria ser assim, mas acontece.
A santidade deve trazer sempre uma parte de atividade religiosa.
Não basta viver bem, honestamente amando o próximo.
A melhor religião é a vida; mas na vida devemos pôr a religião.

Sem comentários: