Número total de visualizações de página

quarta-feira, 2 de junho de 2010

JESUS CRISTO POR DENTRO

albanosousanogueira@sapo.pt
http://operfumededeus.blogspot.com

O mês de Junho é dedicado ao Sagrado Coração de Jesus.
Por isso, esta reflexão pode ajudar os meus leitores a entrar nesta dinâmica da fé neste símbolo do amor tão conhecido: o coração


O Coração de Jesus é Cristo por dentro.
Sua misericórdia sem limites.
Seu Amor eterno e infinito.
Sua bondade infinita.
Seu perdão sempre maior que as nossas fraquezas e pecados.
Seu Coração aberto, terno, clemente, puro, desarmado, fornalha ardente de caridade.
Coração que vibra, pulsa, sente, conquista, envolve, sorri, padece, aplaude, chora e entristece-se.
Humano e divino; desejoso de irradiar as suas chamas pelo mundo, aquecendo almas, envolvendo nossas vidas.
O Coração de Jesus é Cristo por dentro.
E quem descobre Cristo por dentro faz a grande descoberta da sua vida.
Milhões de cristãos e de Católicos desconhecem Cristo por dentro.
Seus interesses são outros. Seus ideais, seus programas, seus objectivos e seus caminhos são outros.
Os barcos das suas vidas navegam em outras águas.
Onde estiver o teu tesouro, aí estará teu coração.
Multidões de crentes conhecem Jesus apenas superficialmente. Pela rama, pela casca.
Conhecem um pouco da sua vida, da sua história, talvez conheçam o drama do Calvário.
Mas apenas um conhecimento intelectual, superficial.
Mas não O amam, não vivem Jesus Cristo. Estão por fora, presos a paisagens laterais.
Alguns até dizem que amam Jesus Cristo, mas esquecem-se dele.
Não lhe rezam, não falam com Ele; não vão à Igreja, nem à Missa, nem se confessam, nem comungam.
Dizem que amam, mas não pensam, não falam nem visitam a pessoa amada.
Amar e conhecer Jesus Cristo implica actos concretos, gestos, sinais de amor, vivência, compromisso, adesão interior da mente, da vontade, do coração, da vida.
Amar Jesus Cristo implica
---- Conhecê-lo,
---- Orar,
---- Celebrar a fé pelos Sacramentos,
especialmente a missa TODOS OS Domingos
---- Viver o Evangelho na vida concreta de cada dia.
Amor a Cristo de verdade e não apenas palavras.
Cristão verdadeiro é aquele que mergulha nas águas profundas de Cristo, para depois voltar à tona, transmitindo aos outros um pouco de tudo isso que nosso Cristo é.
Cristo não foi… Cristo é.
Cristo voltou ao Pai, mas continua connosco.
Ele vive, actua, irradia, perdura. Hoje e sempre pelos séculos sem fim. Amigo. Irmão. Glorioso. Imortal. Salvador. Libertador.
Para Conhecer melhor a Jesus Cristo temos de entrar no seu Coração, aproximarmo-nos da Eucaristia, o pão dos fortes, o alimento dos fracos.
Amar a Cristo implica amar a Igreja (Católica ou outra) e amar os outros.
Na bondade que existe à face da terra, percebemos os reflexos do Seu Amor.
Amá-lo, segui-lo, reverenciá-lo, acolhê-lo dentro do nosso coração é um risco e um desafio. Implica renúncia, despojamento, morte ao egoísmo, cruz às costas.
Mas traz alegria, crescimento e paz.
Aquela alegria que não se descreve porque é muito profunda.
Aquele crescimento que realiza a pessoa plenamente que traz o Céu à terra.
Aquela paz e serenidade que enfrenta as tempestades sem sucumbir.
O crescimento traz sempre alguma dor.
Mas há também alegria. Uma pessoa que queira crescer, tem de sofrer, mas isso também lhe trará alegria.
Seguir o Evangelho e a vida de Cristo a sério é correr riscos, traz-nos sempre alguns incómodos, contrariedades, sofrimentos, pode até trazer a morte ao pecado e ao egoísmo, mas traz uma vida maior a quem o conseguir; traz uma esperança maior e uma felicidade que o mundo não pode dar.
E traz-nos, sobretudo a certeza da vitória final chamada Ressurreição.
A verdadeira felicidade passa pelo caminho do sofrimento.
A paz, a luz e a serenidade que o Coração de Jesus irradia, compensam a dor no crescimento e os cansaços do dia-a-dia.

Roque Schneider, S.J

Sem comentários: