Número total de visualizações de página

sábado, 17 de julho de 2010

- ESPIRITUALIDADE (6)



O acto pelo qual acreditamos em Deus chama-se Acto de Fé.
Mas aqui já não se trata de fé humana, isto é, de acreditar nos homens.
Agora, acreditamos em Deus e nas verdades por Ele reveladas.
Tudo quanto sabemos pela fé humana o podíamos saber directamente por nosso esforço, se tivéssemos tempo, instrumentos próprios, sabedoria, etc.
Mas quando se trata das verdades divinas reveladas por Deus, o que é objecto de Fé divina, já tudo é diferente: por mais tempo que possuíssemos, por mais sábios que fôssemos, nunca lá chegaríamos.
Nesse caso, Deus tem de conceder ao homem uma nova faculdade, por assim dizer.
Deus concede-nos a Fé, uma virtude sobrenatural pela qual acreditamos em Deus e nas verdades que Ele nos revelou e as vemos relacionadas com a nossa vida.
Porque a Fé ajuda-nos a aceitar e a compreender as verdades que Deus nos revelou e a pôr em prática os seus ensinamentos.
A Fé é um dom de Deus, que devemos pedir, embora nunca o mereçamos.
Mas Deus dá-nos o dom da fé que devemos pedir cada dia.
E pela fé vemos o que se encontra para além do que a nossa inteligência descobre e nunca se opõe a ela, antes a prolonga.
A Fé prolonga os conhecimentos adquiridos pela inteligência.
Quem vive da Fé possui um conhecimento novo.
Sabe que Deus se encontra em tudo, que tudo fala de Deus, que tudo conduz a Deus. Sabe que a História, quer do Universo com os seus astros, quer do Homem sobre a Terra, se desenrola na presença de Deus e que Deus está em todas as transformações materiais ou sociais.
Não vamos entender esta presença de Deus à maneira de um pedreiro que junta as pedras de um edifício. Nem ao modo de um chefe militar a dar ordens aos exércitos. A presença de Deus é normalmente Providência:
Deus está em tudo pelas leis que tudo regem;
Deus só extraordinariamente interfere com acções especiais, denominadas milagres.
Deus é discreto, escondido e dificilmente se mostra de forma directa.
Temos de O perceber de forma indirecta, como uma pegada que aponta para quem a fez.
Não vimos quem foi, mas dizemos que alguém foi: homem ou animal…
A nossa sociedade vive em crise de Fé porque se tornou materialista, escrava do que vê, do que percebe, do que ouve e Deus não se vê, não se entende, não se ouve directamente. Por isso, se abandona a fé e a prática religiosa.
A nossa sociedade é utilitarista. Só vê as coisas e as pessoas pelo lado útil.
Rezar, praticar a religião, acreditar, não é “útil” segundo a mentalidade deste mundo… a não ser que Deus faça um “milagre”, uma “cura” e então já é “útil”…
A fé é um dom de Deus que ilumina e dá sentido á vida, mas só na medida em que a pessoa descobre esse Deus Vivo na sua vida e se relaciona com Ele na oração pessoal, individual, familiar e comunitária.
A oração é fundamental para a vida de um cristão e de um sacerdote.

1 comentário:

Anónimo disse...

Estas palavras , que Vossa Reverencia , profere são realmente , muito verdadeiras, e cheias de fé , só não vê aquele que , não quer mesmo ver, e analisar o seu conteúdo. Eu como talvez o saiba analisar , por o que tenho estudado, são palavras, muito cheias , de fé e dogmas que nos conseguem, aproximar de um Deus verdadeiro